UOL Notícias Notícias
 

27/05/2009 - 08h49

Dunga diz que busca equilíbrio entre reclusão e 'Big Brother Seleção'

O técnico Dunga disse nesta quinta-feira que a seleção brasileira vai procurar um ponto de equilíbrio entre a reclusão total dos jogadores na Copa do Mundo e a exposição excessiva do grupo, chamada de "Big Brother" pela CBF.

A seleção chegou nesta quinta-feira em Johanesburgo, onde se prepara para jogar a Copa do Mundo a partir do dia 11 de junho.

Dunga e a CBF manifestaram preocupação com a exposição excessiva do grupo, considerado um dos fatores que teria prejudicado a seleção na Copa passada.

O fácil acesso de torcedores e imprensa aos jogadores em 2006, durante a preparação para o Mundial na Alemanha na cidade suíça de Weggis, é visto hoje pela CBF com um erro que prejudicou o grupo.

Big Brother Antes da entrevista coletiva com Dunga, o assessor de imprensa da CBF, Rodrigo Paiva, dirigiu-se aos jornalistas, dizendo que a entidade quer evitar que a passagem da seleção pela África do Sul vire um "Big Brother", como aconteceu na Copa passada.

Segundo ele, na Alemanha em 2006, a seleção foi observada o tempo todo por câmeras de reportagem, o que prejudicou a concentração da equipe.

"Aquilo ali não deu certo", disse Paiva. "Peço que vocês reflitam se é realmente necessário aqui no último andar do prédio (ter) várias câmeras ligadas o tempo todo e apontadas para os quartos dos jogadores." Perguntado sobre o "Big Brother Seleção", Dunga disse que é preciso encontrar um ponto de equilíbrio.

"Nós chegamos em Curitiba (na semana passada) e tínhamos dois dias para fazer testes. Se vendeu uma imagem para o torcedor brasileiro de que nós éramos fechados, reclusos e que não deixávamos ninguém entrar (na concentração)", disse Dunga.

"Não tem por que, se o jogador está fazendo exames, deixar alguém entrar. Mas daí vocês abre (a concentração para os jornalistas e torcedores) e se fala novamente em Weggis. Então tem que ter um equilíbrio." Abertura Tanto no colégio usado pelo Brasil para treinar como no hotel onde o grupo está hospedado, a seleção conta com um esquema de segurança, podendo transformar o local em uma "fortaleza" se quiser. No entanto, a CBF não está restringindo o acesso ao local.

No hotel Fairways, todos podem circular livremente. Nesta quinta-feira, apenas jornalistas e membros do clube de golfe ao lado do hotel frequentavam o local. Não se vê torcedores nem curiosos.

A CBF também afirmou que não há previsão de que os treinos da seleção em Johanesburgo sejam fechados.

A entidade já marcou o primeiro treino livre para sexta e prometeu acesso a todos os jornalistas no colégio Hoerskool Randburg.

Nesta quinta-feira, os jogadores farão alguns treinos físicos no hotel à tarde.

Na sexta, a equipe começa a treinar no campo.

A CBF disse que os amistosos contra Zimbábue e Tanzânia estão praticamente confirmados.

O jogo contra o Zimbábue aconteceria entre os dias 1 e 3. Já a partida contra a Tanzânia deve ocorrer no dia 7, uma semana antes da estreia do Brasil na Copa contra a Coreia do Norte.

Os dois jogos seriam realizados nos países africanos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,28
    3,182
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,29
    64.676,55
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host