UOL Notícias Notícias
 

14/06/2009 - 12h54

Conheça os os adversários do Brasil na Copa das Confederações

A seleção brasileira inicia nesta segunda-feira contra o Egito a caminhada rumo ao terceiro título da Copa das Confederações, torneio realizado na África do Sul e considerado uma preparação para o Mundial do próximo ano.

A competição de duas semanas reúne seis equipes vencedoras de seus torneios continentais além da Itália, atual campeã mundial, e a África do Sul, país sede.

O Brasil, vencedor da mais recente Copa América, vem embalado pelo primeiro lugar isolado nas eliminatórias na América do Sul e por um retrospecto bastante positivo desde que o técnico Dunga assumiu, em 2006, com 26 vitórias, 10 empates e apenas quatro derrotas. Na primeira fase, a equipe enfrenta o Egito, Estados Unidos e a Itália.

Confira abaixo qual a situação das demais seleções presentes na Copa das Confederações 2009. Espanha - Campeã europeia, o time atual é considerado um dos mais fortes que o país já reuniu. Equilibrado em todas as áreas, conta com alguns dos melhores defensores do mundo, como Casillas, Pique, Puyol e Sergio Ramos, meio-campistas como Fabregas, Xabi Alonso e Xavi e atacantes como Fernando Torres e David Villa. O técnico Vicente del Bosque perdeu dois titulares por motivos médicos, o brasileiro naturalizado espanhol Marcos Senna e o meia Iniesta. A Espanha estreia no domingo, contra a Nova Zelandia, às 15h30 (hora de Brasília, 20h30, hora local).

Itália - Presente no torneio por ter ganhado a Copa do Mundo, o time de Marcelo Lippi preserva a base que venceu a Copa de 206, com Buffon, Cannavaro, Gattuso, Luca Toni, Gilardino, Iaquinta, Camoranesi, Zambrotta e Pirlo. Por outro lado, aposta em jovens talentos como o lateral Davide Santon, de 18 anos, da Inter de Milão além do meia Montolivo e o defensor Gamberini, ambos da Fiorentina.

A Itália chega na competição após uma vitória sofrida contra a fraca Nova Zelândia, por 4x3 no último amistoso antes do torneio.

A equipe estreia contra os Estados Unidos no domingo e, ainda na primeira fase, faz contra o Brasil um dos jogos mais esperados do torneio, no próximo domingo, há exatos 39 anos da partida Brasil 4 x 1 Itália que nos garantiu o tricampeonato mundial no México. Iraque - De longe, os azarões da competição. Em 2007, a conquista da Copa da Ásia já foi considerada uma zebra tremenda. Agora, poucos acreditam que, na terra das zebras verdadeiras o time vai conseguir ir muito longe.

O Iraque mantém a base de dois anos atrás mas substituiu o técnico brasileiro Jorvan Vieira pelo experiente Bora Milutinovic. A equipe é formada pela promissora geração que conquistou o campeonato mundial juvenil de 2000, competiu na Copa sub-20 de 2001 na Argentina e chegou à semifinal nas Olimpíadas de 2004. Mas o elenco já dá sinais de envelhecimento e inconsistência, tendo sido eliminado nos jogos classificatórios para a próxima Copa. Egito - A torcida egípcia lamenta ter perdido, por contusão, seu maior nome para a competição, o atacante Amr Zakki, que jogou a última temporada no inglês Wigan. O segundo maior ídolo futebolístico do país, o temperamental e por vezes acima do peso Ahmed 'Mido' Hossam também não foi convocado pelo técnico Hassan Shenata. Os dois se estranharam desde que Mido reclamou por ter sido substituído em 2006.

Nesta competição o Egito tenta quebrar o tabu de que o time vai bem na Copa África (venceu seis vezes, inclusive as duas últimas) mas muito mal nas eliminatórias do Mundial. Atualmente, o Egito está na lanterna de seu grupo. A equipe estreia contra o Brasil na segunda-feira. Estados Unidos - Como sempre, o time deve se classificar para a Copa do Mundo, mas poucos acreditam que os EUA possam bater Brasil ou Itália e se classificar para a segunda fase da Copa das Confederações. Seu maior astro é o veterano Landon Donovan, companheiro de Beckham no Los Angeles Galaxy. Nova Zelândia - Como os EUA, o time deve se classificar para o Mundial 2010, mas nesta Copa das Confederações se dará por satisfeito se conseguir o primeiro ponto em sua terceira participação.A maioria dos jogadores escolhidos pelo técnico Ricki Herbert atua na Austrália e quase metade, na equipe local que dirige, o Wellingtion.

Seu maior nome é Chris Killen, que joga no Celtic, da Escócia. A Nova Zelãndia estreia no domingo, contra a Espanha. África do Sul - O técnico brasileiro Joel Santana não convocou alguns medalhões como Benni McCarthy, do inglês Blackburn. O atacante perdeu a titularidade nesta temporada e vem sendo considerado acima do peso pela imprensa inglesa. Em pouco mais de um ano Joel montou um time que está em processo de reabilitação, após derrotas inesperadas para outras equipes africanas. O brasileiro vem repetindo que seus críticos devem julgá-lo pelo desempenho na competição de 2009.

O futebol tenta desbancar o rugbi como o esporte mais popular do país. Um bom desempenho na Copa das Confederações pode ajudar neste sentido. Seu grupo, o A, conta também com Iraque e Nova Zelândia e como duas seleções se classificam para a segunda fase e apenas a Espanha é considerada um adversário muito superior aos sul-africanos, a passagem para as semifinais não é tarefa impossível.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host