UOL Notícias Notícias
 

04/08/2009 - 20h49

Prefeitura italiana perde parte dos salários em loteria

O prefeito da cidade italiana de Ficarra, na Sicília, perdeu parte de seu salário e dos salários dos servidores municipais que havia apostado na loteria do país.

Basilio Ridolfo, o prefeito, e os funcionários da prefeitura tiraram 115 euros (cerca de R$ 305) de seus salários para apostar na loteria italiana SuperEnalotto alegando que usariam o prêmio para reforçar o orçamento da cidade.

A loteria estava acumulada desde janeiro e o prêmio seria 116 milhões de euros (mais de R$ 307 milhões).

Mas o sorteio desta terça-feira não teve vencedores e o prêmio foi acumulado em cerca de 119 milhões de euros.

Planos
De acordo com o correspondente da BBC em Milão Mark Duff, o governo municipal se cansou de esperar pelas verbas que o governo em Roma deve ao município e não tinha nem mesmo a pequena quantia necessária para as apostas.

O prefeito dizia que as chances de ele e os funcionários municipais ganharem na loteria seriam mais altas do que as de receber as verbas pedidas ao governo.

Ridolfo contou com a fé para acertar os seis números da loteria.
"Escolhemos os números que estão ligados à padroeira da cidade, a Nossa Senhora da Assunção", disse o prefeito."

Ridolfo dizia que metade do prêmio seria gasta em projetos da prefeitura e o restante, dividido entre os 2 mil moradores da cidade.

O prêmio recorde anterior da SuperEnalotto, de quase 100 milhões (cerca de R$ 265 milhões), foi para a cidade também siciliana de Catânia, em outubro de 2008.

Os sorteios da SuperEnalotto ocorrem três vezes por semana, mas o prêmio tem acumulado nos últimos meses porque nenhum apostador conseguiu acertar o seis números. O próximo sorteio será na quinta-feira.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host