UOL Notícias Notícias
 

19/08/2009 - 12h47

Chinês é internado após agressão em centro para viciados em internet

Um adolescente de 14 anos está internado em estado grave na China depois de ter sido espancado em um centro que trata jovens viciados em internet. De acordo com a imprensa estatal chinesa, Pu Liang, que está se recuperando de ferimentos no peito e de falência nos rins, teria sido agredido repetidas vezes no centro de tratamento, que segue um estilo militar. Os pais afirmam que ele apanhou do diretor e de outros alunos. O centro disse que apenas os outros internados bateram no menino, porque "não se deram bem com ele". O caso veio à tona pouco depois de as autoridades confirmarem que um jovem de 15 anos foi espancado até a morte em outro centro para tratamento de viciados, três semanas atrás, na província autônoma de Guangxi Zhuang, no sul da China. Castigo Internado pelos próprios pais, Pu Liang foi encontrado na quinta-feira passada em uma cela solitária do estabelecimento, que fica na cidade de Chengdu, na província de Sichuan (centro-sul do país). Wu Yongjing, criador do centro, confirmou à BBC que crianças são espancadas durante o tratamento como forma de punição. Segundo ele, desde que o castigo físico não seja muito severo, é um bom modo de controlar jovens problemáticos. O diretor do estabelecimento, Tang Jingcheng, foi preso depois que as autoridades receberam denúncias de que outro menino havia sido espancado no centro, que foi fechado na quarta-feira, segundo a imprensa chinesa. A mãe de Pu Liang procurou o centro porque achava que ele passava muito tempo jogando jogos de computador. Ela disse ter gasto US$ 730 (cerca de R$ 1.360) no tratamento depois que os responsáveis pelo centro prometeram curá-lo. Regras caóticas Centros de tratamento em estilo militar para viciados na internet são comuns na China, o país com o maior número de usuários da rede no mundo - quase 300 milhões. Nos centros de internação, os jovens normalmente são submetidos a um regime rigoroso de exercícios físicos e aprendem a apreciar outros passatempos. Mas a questão do tratamento para viciados em internet continua sendo controversa na China. Tao Ran, um especialista do Hospital Geral Militar de Pequim, disse que as regras para o setor são caóticas no país. Segundo ele, a maior parte dos diretores desses centros não são qualificados para lidar com jovens. "Só hospitais e médicos propriamente qualificados deveriam oferecer o tratamento", disse ele. Segundo o Ministério da Saúde, não há qualquer esquema para registrar ou monitorar os centros que tratam viciados em internet.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host