UOL Notícias Notícias
 
20/10/2009 - 18h06

Congelamento de taxa aumenta custos da BBC no futuro

Taxa que financia a BBC será mantida inalterada por seis anos A licence fee da BBC (taxa anual paga por todos os domicílios britânicos que têm um aparelho de TV) será mantida em seu nível atual por seis anos, ao mesmo tempo em que a corporação concorda em financiar o seu Serviço Mundial, o serviço de monitoramento de notícias BBC Monitoring, o canal em língua galesa S4C e a extensão de banda larga em áreas rurais.

As mudanças, altamente significativas para a BBC e definidas horas antes da divulgação da revisão de gastos do governo britânico, foram anunciadas formalmente nesta quarta-feira no Parlamento pelo ministro das Finanças, George Osborne.

Algumas semanas atrás, o ministro da Cultura, Jeremy Hunt, disse que não iniciaria as discussões sobre a próxima alíquota da licence fee até o próximo verão (inverno no Brasil). Mas os anúncios foram feitos subitamente.

A BBC agora sabe qual será a sua renda nos próximos seis anos, o que traz alguma segurança e estabilidade.

Mas esta renda ficará congelada, embora se espere que a inflação aumente no período, e os custos da BBC crescerão em aproximadamente 340 milhões de libras (cerca de R$ 897 milhões) por ano.

Maior independência O Serviço Mundial da BBC atualmente custa 272 milhões de libras (cerca de R$ 718 milhões) por ano, pagos pelo Ministério das Relações Exteriores britânico.

O novo acerto dará a este serviço uma independência editorial e operacional mais clara em relação ao governo.

No entanto, financiado pela licence fee, o Serviço Mundial se verá agora como parte de uma BBC mais ampla, da qual são exigidos cortes ainda maiores.

Alguns temem que o serviço possa perder um pouco de sua distinção, ou então entrar na linha de frente de cortes. Já outros irão criticar a maneira como esta decisão abrangente foi tomada, aparentemente com poucas consultas.

Muitos acham o acordo duro, mas realista, em uma época de redução de gastos públicos - e uma melhor opção que a proposta anterior de fazer a BBC arcar com o custo da gratuidade da licence fee para os lares britânicos que têm pessoas de idade igual ou superior a 75 anos.

Atualmente, isto custa 556 milhões de libras (cerca de R$ 1,46 bilhão) por ano - pagos pelo Ministério do Trabalho e Previdência -, o que mal representa o custo de manter o canal de televisão doméstico britânico BBC Two ou toda a operação de rádio da BBC no Reino Unido.

O BBC Trust (órgão que monitora a BBC) disse que iria se opor a este plano, argumentando que "seria inaceitável para aqueles que pagam licence fee assumir a conta de algo que é um benefício do Ministério do Trabalho e da Previdência." Independência As novas obrigações da BBC são claramente enraizadas nos serviços de tele e radiodifusão.

A BBC também financiará - embora sem controlar - o canal em língua galesa S4C, que já enfrentava ele próprio mudanças drásticas, incluindo cortes de orçamento que ameaçavam o seu futuro.

A BBC do País de Gales foi avisada que a BBC não está "assumindo" o S4C, que manterá sua independência operacional.

Se fosse este o caso, alguns diriam que isto suspeitosamente se parece com o "fatiamento" que foi veemente combatido pelo BBC Trust no ano passado, quando o governo trabalhista propôs repassar parte da licence fee para a rede de televisão privada ITV a fim de preservar os seus telejornais regionais.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host