UOL Notícias Notícias
 

04/02/2010 - 07h11

Guru de autoajuda é indiciado por mortes em ritual de purificação nos EUA

Um famoso guru de autoajuda americano foi acusado formalmente nesta quarta-feira de homicídio culposo pela morte de três pessoas em um retiro no Arizona, em que ele oferecia palestras motivacionais e tratamentos holísticos de purificação física e espiritual.

James Ray, que chegou a ser entrevistado nos conhecidos programas de TV de Ophrah Winfrey e Larry King, se entregou à polícia no escritório de seu advogado e foi levado preso.

As mortes ocorreram durante um evento de cinco dias chamado de "Guerreiro Espiritual", promovido no Centro de Retiros de Angel Valley, em outubro do ano passado, cerca de 180 quilômetros ao norte de Phoenix.

Na ocasião, o grupo participava de um ritual em uma sauna, quando várias pessoas começaram a passar mal. Além de longas sessões na sauna, o evento incluía um jejum de 36 horas.

"Este foi um acidente terrível, mas foi um acidente, não um ato criminoso", disse seu advogado, Luis Li, acrescentando que Ray acredita que sua inocência será provada.

"James Ray cooperou com cada passo da investigação, apresentando informações e testemunhas para as autoridades, mostrando que ninguém poderia ter previsto o acidente", disse Li.

Segundo o New York Times, Ray é presidente de uma empreendimento multimilionário "que promete a seus seguidores um caminho para 'riqueza harmônica em todas as áreas de sua vida'".

Desidratação Serviços de emergência foram chamados ao rancho onde foi realizado o evento no dia 8 de outubro, depois que cerca de 50 pessoas disseram estar sentindo dificuldades para respirar.

Os participantes estavam reunidos em uma sauna tradicional, usada por índios americanos em rituais, em uma estrutura de madeira coberta de plástico e cobertores. No interior, havia pedras quentes onde era jogada água, para gerar vapor.

Várias pessoas passaram mal durante a sessão de mais de duas horas, chegando a vomitar no local.

Dois participantes desmaiaram durante a cerimônia e morreram mais tarde, na mesma noite. Um terceiro participante morreu uma semana depois, após entrar em coma.

Dezoito pessoas foram levadas ao hospital sofrendo de sintomas que iam da desidratação à falência nos rins.

Alguns dos participantes disseram que Ray encorajou as pessoas a continuar a participar da cerimônia, apesar de algumas terem passado mal.

As informações são de que alguns dos participantes pagaram até US$ 9 mil (cerca de R$ 16 mil) para participar do evento.

Andrea Pucket, cuja mãe, Liz Neuman, de 49 anos, morreu no evento, disse estar aliviada com a prisão de Ray.

"Ajuda o fato de ele estar, por agora, sendo impedido de fazer o que vinha fazendo, de prejudicar outra pessoa, e este é o maior alívio para mim e minha família agora", disse ela à agência de notícias Associated Press.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host