UOL Notícias Notícias
 

13/02/2010 - 08h01

Otan diz estar fazendo progresso em megaoperação contra o Talebã

O comandante das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no sul do Afeganistão, General Nick Carter, declarou que a megaoperação contra o Talebã na região "tem sido extremamente bem-sucedida até agora".

A ofensiva está sendo considerada a maior no país desde a queda do regime dos talebãs, em 2001. Houve confrontos depois do início da operação envolvendo mais de 15 mil soldados, mas não teria havido mortes do lado das forças internacionais.

Segundo o Exército afegão, 70% da área de Marjah, um reduto dos militantes a 600 km da capital, Cabul, foi controlada e cinco talebãs foram mortos.

O objetivo final da operação batizada de Moshtarak (que significa "juntos" no idioma local dari) é assegurar o controle do governo nas cidades de Marjah e Nad Ali, na Província de Helmand, que abrigavam centenas de militantes talebãs antes da ofensiva.

Um comandante do grupo extremista disse à rede de televisão ABC que seus homens estavam se retirando da região para poupar as vidas de civis, mas acredita-se que os talebãs tenham colocado explosivos nas estradas que devem ser usadas pelas tropas.

Civis O presidente afegão, Hamid Karzai, e o comandante da operação da Otan pediram que os soldados evitem a morte de civis a todo custo, já que a operação também visa conseguir o apoio da população local.

Segundo o correspondente da BBC em Washington Adam Brookes, a ofensiva tem uma grande importância política, já que marca a primeira grande ação militar no Afeganistão desde que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou o envio de mais 30 mil soldados americanos ao país.

Uma vez que as áreas de Marjah e Nad Ali estejam seguras e sob controle das forças internacionais, a Otan pretende providenciar ajuda aos moradores e restabelecer os serviços públicos na região.

Planejamento O planejamento da megaoperação começou há várias semanas, com helicópteros da Otan despejando folhetos sobre a região pedindo para que os moradores deixassem a área.

Funcionários do governo local dizem que cerca de 35 mil moradores de deixaram a cidade e teriam se deslocando para outras partes da província.

No fim de semana, em preparação para a ofensiva, o general britânico Nick Carter disse que a ofensiva teria pela primeira vez as forças afegãs envolvidas no planejamento.

Segundo ele, isso foi possível graças à introdução nas forças afegãs de um grande número de homens treinados pela coalizão internacional.

No passado, segundo ele, operações do tipo contra o Talebã fracassaram por não haver um número de soldados locais suficientes para manter a segurança após a expulsão do Talebã.

O comandante da Otan no Afeganistão, general Stanley McChrystal, disse que a operação enviará "um sinal forte de que o governo afegão está expandindo seu controle da segurança".

O especialista em segurança da BBC Frank Gardner, que esteve no quartel-general da ofensiva, em Kandahar, diz que os comandantes têm consciência da reputação muitas vezes dúbia das forças afegãs e estão se preparando para monitorar seu desempenho durante a operação.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host