UOL Notícias Notícias
 

27/02/2010 - 18h35

Obama liga para Bachelet oferecendo ajuda após terremoto

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, entrou em contato com a presidente chilena Michelle Bachelet, depois do terremoto de magnitude 8,8 que atingiu o país neste sábado.

Em um telefonema de Washington, Obama afirmou que os Estados Unidos podem enviar recursos para ajudar o Chile, caso o governo do país precise.

Obama elogiou Bachelet pela reação do governo chileno ao desastre e falou sobre a capacidade e especialização dos serviços do país para lidar com terremotos. O presidente ainda insistiu que os Estados Unidos estão prontos para ajudar nos trabalhos de resgate e recuperação do país.

Bachelet por sua vez agradeceu ao presidente americano e afirmou que voltará a falar com Obama caso o Chile precise de ajuda.

O terremoto no Chile também gerou um alerta de tsunami para vários países do Pacífico, do Japão à Nova Zelândia e também o Havaí. Com isso, Obama pediu aos americanos que moram na ilha que sigam as orientações de evacuação das áreas mais vulneráveis.

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown afirmou que a Grã-Bretanha vai fazer tudo o possível para ajudar o governo do Chile.

França e Argentina também já ofereceram ajuda ao Chile e a Suíça informou que está enviando uma pequena equipe de avaliação da situação.

ONU O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, está "monitorando com atenção os acontecimentos, incluindo o risco de tsunamis, depois do grande terremoto no Chile", de acordo com uma declaração de seu gabinete.

De acordo com porta-voz da ONU, Martin Nesirky, o secretário-geral da organização também ofereceu ajuda ao governo chileno e está tentando entrar em contato com a Comissão Econômica da ONU para a América Latina e Caribe (CEPAL), que tem sua sede em Santiago, para obter uma avaliação do impacto do terremoto e também a situação dos funcionários da organização.

Na tarde deste sábado um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou da base aérea de Brasília levando o ministro da Justiça chileno, Jorge Toledo, que estava em Brasília para um congresso da Organização dos Estados Americanos (OEA), de volta para Santiago.

Segundo a FAB, a previsão é de pouso em Santiago mesmo com o aeroporto da capital chilena fechado devido ao tremor. Ainda não há informações sobre o retorno de brasileiros que estão no Chile com este avião, mas a FAB informou que a aeronave tem capacidade para transportar 12 passageiros.

E equipes de ajuda estão sendo enviadas ao Chile por instituições de caridade britânicas. A Oxfam está enviando uma equipe de engenheiros hidráulicos e outra especializada em logística que estão na Colômbia e também está tentando entrar em contato com outras organizações no Chile para acelerar a ajuda.

"O Chile é um país desenvolvido com um governo muito capacitado e é improvável que este desastre seja tão grave como o que vimos no mês passado no Haiti, mas queremos estar no lugar certo para ajudar o mais rápido possível", afirmou Jeremy Loveless, vice-diretor de ajuda humanitária da organização.

A organização Save de Children também informou que está avaliando a situação no Chile para mobilizar equipes e enviar ao país.

A Cruz Vermelha da Grã-Bretanha já liberou 50 mil libras (quase R$ 138 mil) de seu Fundo de Desastres para a Cruz Vermelha chilena.

"A Cruz Vermelha chilena tem experiência na resposta a desastres naturais e estamos fazendo esta liberação imediata de verbas para apoiar seus esforços de ajuda", afirmou Pete Garratt, gerente de ajuda em desastres da organização britânica.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,97
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,99
    64.389,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host