UOL Notícias Notícias
 

05/03/2010 - 09h53

China tem que reduzir diferença entre pobres e ricos, diz premiê

O primeiro-ministro chinês Wen Jiabao disse em um discurso em Pequim que a China precisa reverter a crescente diferença de renda entre ricos e pobres.

De acordo com o premiê, os benefícios de uma economia em crescimento como a do país - que tem previsão de crescimento de 8% para 2010 - devem ser distribuídos de uma forma mais justa.

"Nós não vamos fazer com que a 'torta' da riqueza social fique maior apenas desenvolvendo a economia, mas também distribuindo (a riqueza)", disse Jiabao aos 3 mil delegados presentes a uma sessão cerimonial do Parlamento.

"(Nós vamos) De forma decidida reverter a crescente diferença de renda", acrescentou o premiê no discurso que durou mais de duas horas.

No discurso, feito no começo da sessão anual do Parlamento chinês, Jiabao também reconheceu que a economia precisa de uma restruturação e acrescentou que quer que as companhias do país melhorem a capacidade de inovação, com produtos de alta tecnologia e qualidade.

No discurso, proferido no Grande Salão do Povo do Parlamento chinês em Pequim, Jiabao avaliou o trabalho do governo nos últimos 12 meses e estabeleceu a política a ser adotada para o próximo ano.

'Situação complexa' Em seu discurso, o primeiro-ministro chinês tratou do que ele chamou de "situação complexa" da economia do país que, segundo ele, deve crescer 8%.

Em 2009 a China tentava desesperadamente manter o crescimento econômico durante a crise mundial, que chegou ao país e deixou muitos chineses desempregados.

Mas, no momento, tendo passado pelo pior da crise, o primeiro-ministro afirmou que a China precisa se concentrar na restruturação econômica.

"Este é um ano importante para... acelerar a transformação do padrão de desenvolvimento econômico", afirmou.

Jiabao quer que o crescimento econômico no futuro seja movido pela inovação. No discurso, Jiabao também afirmou que pretende cuidar da questão do crescente custo da moradia no país.

E a China também deve expandir a demanda de consumo fazendo com que os chineses gastem em setores como turismo, academias de ginástica e outros serviços.

Os delegados do Parlamento chinês, presentes no discurso de Jiabao, não são eleitos, são escolhidos. No entanto, em seu discurso, o premiê indicou que dá ouvidos aos que estão fora do governo.

Urbano ou rural Como parte do projeto de mudanças no país, Jiabao afirmou que a China vai mudar o programa de registros que classifica os chineses como moradores da zona rural ou zona urbana.

Com este polêmico sistema muitos fazendeiros que vão trabalhar nas cidades chinesas para conseguir salários melhores não conseguem o mesmo tratamento dos moradores da zona urbana.

"(Vamos) Gradualmente, garantir que eles recebam o mesmo tratamento dos moradores da zona urbana em áreas como salários, educação infantil, saúde, moradia e previdência social", afirmou.

No entanto, Jiabao não especificou quais seriam as políticas para se alcançar este objetivo e nem quando elas entrariam em vigor.

O premiê revelou que as reformas serão feitas apenas em cidades menores, o que sugere que o sistema vai continuar o mesmo nos grandes centros urbanos como Pequim e Xangai.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host