UOL Notícias Notícias
 

05/03/2010 - 19h36

ONU anuncia US$ 10 milhões em ajuda ao Chile

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou, nesta sexta-feira, em Santiago, uma ajuda de US$ 10 milhões (cerca de R$17 mi) ao Chile, atingido por um terremoto de 8,8 graus de magnitude no último sábado.

"Estou aqui para dar todo meu apoio e solidariedade ao povo chileno, neste momento de grande desafio. (...) Quero anunciar a ajuda de US$ 10 milhões para o país", disse Ban em uma declaração no palácio presidencial La Moneda, ao lado da presidente, Michele Bachelet.

Os recursos sairão do Fundo de Emergência da ONU e deverão ser destinados às regiões mais afetadas pelos tremores e pelas ondas gigantescas que arrasaram vários povoados da costa do país.

O secretário-geral destacou que as prioridades devem ser os setores de saúde, saneamento básico e albergues ou casas de emergência para os desabrigados.

Campanhas O Chile continua recebendo ofertas de ajuda financeira enquanto parte dos recursos começa a chegar ao país.

A embaixada dos Estados Unidos em Santiago informou que dois aviões C-130 Hércules, além de pessoal de apoio e equipamentos necessários para as regiões mais afetadas pelo desastre, como Maule e BíoBío, chegarão neste sábado ao Chile.

Ao mesmo tempo, são realizadas diferentes campanhas para arrecadar fundos e alimentos para as vítimas do terremoto e dos tsunamis.

No calçadão da calle Ahumada, no centro de Santiago, por exemplo, estudantes da Universidade Tecnológica Metropolitana pedem dinheiro para os desabrigados das localidades de Pichilemú e Litueche Região Libertador Bernardo O'Higgins.

"Acho que todos devemos ajudar", disse à BBC Brasil o estudante de laboratório clinico Danilo Zuñiga, de 23 anos.

Nas principais lojas de departamentos do país, como Fallabella, os vendedores usam broche que diz 'Força Chile'. Automóveis particulares e os ônibus que circulam pela capital chilena também levam a mesma consigna.

Diferentes emissoras de rádio e de televisão, o governo e a Igreja Católica, além de setores empresariais, realizam entre esta sexta e sábado uma campanha para arrecadar recursos para as vítimas do desastre intitulada "Chile ajuda Chile".

Além disso, o ministro da Fazenda, Andrés Velasco, anunciou planos impositivos, com descontos de impostos para as empresas que participarem da rede de ajuda às regiões afetadas pela catástrofe.

"A lei nos permite oferecer este desconto", anunciou.

Também nesta sexta-feira, autoridades do governo da presidente Bachelet anunciaram a vacinação em massa contra hepatite e outras doenças para aqueles que estão morando em meio aos escombros das áreas arrasadas, especialmente pelas ondas gigantes, onde o mau cheiro já leva alguns a usarem lenços para cobrir a respiração.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h00

    0,19
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h08

    0,28
    65.852,97
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host