UOL Notícias Notícias
 

21/03/2010 - 10h48

Comissão eleitoral rejeita recontagem de votos no Iraque

A comissão eleitoral do Iraque rejeitou neste domingo os pedidos do presidente e do primeiro-ministro para uma recontagem dos votos das eleições gerais de 7 de março.

Uma autoridade eleitoral disse que a recontagem de todos os votos seria impossível e que é desnecessária por causa das checagens que foram feitas para evitar fraudes.
 

Raio-x do Iraque

  • Nome oficial: República do Iraque

    Tipo de governo: Democracia parlamentar

    Capital: Bagdá

    Divisão administrativa: 18 províncias e 1 região

    População: 28.945,569

    Grupos etnicos: Árabes 75%-80%, Curdos 15%-20%, Turcomanos, Assírios e outros 5%

    Religiões: Muçulmanos 97% (xiitas 60%-65%, sunitas 32%-37%) e Cristãos e outras 5%

    Idiomas: Árabe, Curdo (oficial nas regiões curdas), Turcomano (dialeto), Neo-aramaico e Armenio

    Fonte: CIA World Factbook 2009


Tanto o presidente Jalal Talabani quanto o primeiro-ministro Nouri Maliki haviam apoiado os pedidos para uma recontagem manual.

 

Resultados parciais indicam uma disputa acirrada entre Maliki e o ex-premiê Iyad Allawi.

A longa demora no anúncio dos resultados finais, no entanto, levou a crescentes acusações de fraude.

Mudança de tom Com pouco mais de 90% dos votos apurados, a Alta Comissão Eleitoral Independente disse no sábado que a coalizão política de Allawi estava na frente com vantagem de oito mil votos.

Mas a aliança de Maliki estaria na frente em sete das 12 províncias, o que significa que ele poderia ter mais assentos em um futuro parlamento.

"Como presidente do Estado, autorizado a preservar a Constituição e garantir a justiça e a transparência absoluta, eu exijo que a Alta Comissão Eleitoral Independente reconte as urnas manualmente começando desde domingo, 21 de março", disse o presidente Talabani em um comunicado.

Ele não disse quais províncias deveriam ter seus votos recontados.

Maliki também apoiou os pedidos para a recontagem manual, mas não deixou claro se isso deveria ocorrer em todo o país.

Na quarta-feira, ele pediu uma recontagem na região da capital, Bagdá.

O tom das declarações do premiê mudou desde o último final de semana, quando Maliki tinha uma liderança mais garantida e disse que o processo eleitoral parecia estar transcorrendo de forma suave, segundo o correspondente da BBC em Bagdá, Andrew North.

Observadores internacionais aprovaram a forma como as eleições foram conduzidas.

Mas Allawi, que liderou o país entre 2004 e 2005, disse que os votos foram "administrados de forma seriamente incompetente" e que uma recontagem deveria ter sido declarada há dias.

Os resultados finais deverão ser divulgados no fim de março.

 

 

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host