UOL Notícias Notícias
 
22/03/2010 - 08h23

Britânicos diagnosticados com câncer após receber rins de paciente doente

Robert Law está fazendo quimioterapia e cogita ir à Justiça
Dois britânicos contraíram um tipo raro de câncer depois de passarem por transplantes de rins recebidos de um mesmo doador.

Robert Law, 59 anos, e Gillian Smart, 47, receberam os órgãos no Hospital Real de Liverpool em 26 de novembro do ano passado. A doadora, uma mulher de 56 anos, havia supostamente morrido de hemorragia cerebral.

No entanto, uma autópsia realizada depois que os transplantes foram feitos revelou que a doadora sofria de linfoma intravascular de células B, um tipo raro e bastante agressivo de câncer.

Law e Smart já foram diagnosticados com a doença e estão passando por quimioterapia. Uma investigação sobre o caso está sendo realizada pelo Serviço Nacional de Saúde (NHS, sigla em inglês) e pela fundação que administra o Hospital Real de Liverpool.

Ambos os pacientes querem saber por que a doença não foi descoberta antes dos transplantes, e cogitam ir à Justiça. Tanto Law quanto Smart tinham a opção de receber rins de seus irmãos, mas foram convencidos a aceitar os órgãos da doadora com câncer.

"Sendo um paciente renal, você aceita a morte muito rapidamente. Você vê muita morte quando faz hemodiálise", disse Smart à BBC. "Eu não esperava ter de aceitar uma morte causada por câncer. Este é um câncer bastante sério e difícil de combater".

"Eu achei que deveria ir até o fim disto em nome de qualquer pessoa na mesma posição, porque existem 10 mil pessoas por ano (no Reino Unido) que esperam por transplantes", disse Law à BBC.

"Eu acho que elas devem saber que quaisquer órgãos que elas recebam são adequados e que elas não vão ser infectadas por câncer ou qualquer outra doença", afirmou o paciente.

Desconhecimento
"Quando os rins foram transplantados, a equipe cirúrgica não tinha ideia de que o doador poderia ter câncer", afirmou o diretor médico do Hospital Real de Liverpool, Peter Williams.

"Este é um momento muito difícil e angustiante para Rob e Gillian, e nós continuamos a oferecer total apoio, cuidado e tratamento a eles", disse.

O diretor do setor de Sangue e Transplantes do NHS, James Neuberger, afirma que a transferência de males para receptores de órgãos é muito rara, e que a probabilidade de isto ocorrer é maior quando os doadores são mais velhos.

Neuberger admitiu que a escala deste problema no sistema de saúde britânico ainda é desconhecida, mas completou: "Transplantes não são livres de risco. Estes órgãos são de segunda mão".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host