UOL Notícias Notícias
 
25/03/2010 - 06h10

Japonês que matou 7 em ataque de fúria é condenado à forca

Kato havia anunciado suas intenções em um fórum na internet A Justiça japonesa condenou nesta quinta-feira à morte por enforcamento um jovem de 28 anos que matou sete pessoas em um ataque de fúria no bairro de Akihabara, em Tóquio, no dia 8 de junho de 2008.

Após anunciar suas intenções em um fórum na internet, Tomohiro Kato atropelou cinco pedestres com um caminhão de pequeno porte, matando três deles, e depois esfaqueou 12 pessoas, matando mais quatro.

O caso ganhou destaque na mídia japonesa nesta sexta-feira, em meio às notícias sobre a crise nuclear e o terremoto e o tsunami que devastaram a região nordeste do país. Os canais de tevê relembraram o episódio, que chocou os japoneses, e os jornais destacaram a condenação na primeira página.

"Foi um ato desumano e cruel. Não é exagero dizer que todo o Japão ficou chocado com o fato", disse o juiz Hiroaki Murayama, que anunciou a sentença.

A defesa sugeriu que Kato tinha problemas mentais e que não tinha como assumir a responsabilidade pelo crime. Além disso, no dia do atentado, ele teria perdido parte da memória.

"Agora acho que não deveria ter cometido o crime e me arrependo do que fiz. Peço perdão às vítimas, suas famílias e às pessoas que ficaram feridas", disse Kato no final do julgamento.

De acordo com informações da agência de notícias Kyodo, a corte concluiu que o assassino ficou irritado depois que os integrantes do fórum na internet do qual participava, único lugar que sentia fazer parte de um grupo, passaram a assediá-lo na tentativa de que parasse com as postagens.

Neste site, ele escrevia mensagens nas quais reclamava do trabalho e falava da intenção de cometer o crime.

"Kato queria dizer às pessoas para parar de persegui-lo", concluiu a corte. "A perda da família, dos amigos e do trabalho deram a ele um forte senso de isolamento", acrescentou.

Crime premeditado Ataque ocorreu em Akihabara, bairro de Tóquio popular entre turistas Na manhã do domingo, dia 8 de junho de 2008, Kato viajou os quase cem quilômetros que separam sua cidade, Shizuoka, da capital com um caminhão alugado.

Ele seguiu para Akihabara, onde avançou com o veículo contra os pedestres nas ruas, fechadas ao tráfego no domingo.

Em seguida, desceu do carro armado com uma faca e esfaqueou várias pessoas. No total sete pessoas morreram e dez ficaram feridas.

Antes do ataque, Kato teria dado detalhes de como mataria as pessoas. "Baterei meu carro e, quando ele não puder mais ser usado, usarei uma faca. Adeus a todos", escreveu.

Minutos antes de jogar o caminhão contra a multidão, ele postou a última mensagem: "Chegou a hora".

Quando foi detido por policiais, ele teria dito que estava "cansado do mundo". "Vim a Akihabara para matar gente. Qualquer um estava bom. Vim sozinho", falou Kato, segundo o porta-voz do departamento da Polícia Metropolitana de Tóquio.

Akihabara é um dos bairros mais conhecidos de Tóquio por suas lojas de eletrônicos, de animes e mangás, além de cafés e lanchonetes temáticos.

Depois do incidente, as ruas foram reabertas para trânsito de veículos nos finais de semana. Em janeiro deste ano, a associação local voltou a fechar as ruas principais para o público no sábado e no domingo, mas com algumas restrições.

Na última década, houve vários atentados a faca no Japão. Em 2008, uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas depois que um homem invadiu um shopping center com duas facas.

Em um outro episódio, em 9 de junho de 2001, um japonês com histórico de doenças mentais invadiu uma escola primária e matou a facadas oito crianças. Ele foi executado em 2004.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    1,16
    3,163
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h48

    0,13
    64.474,90
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host