UOL Notícias Notícias
 

31/03/2010 - 09h39

ONU recebeu menos da metade dos recursos de ajuda ao Haiti

As Nações Unidas (ONU) não receberam nem a metade do que necessitam para ajudar os haitianos ainda afetados pelo terremoto que sacudiu o país em janeiro, disse Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários da organização.

Byrs afirmou que só foram disponibilizados 48% do montante de US$ 1,4 bilhão pedido à comunidade internacional em fevereiro para ajudar o Haiti.

Em antecipação à conferência de países doadores que começa nesta quarta-feira, em Nova York, a funcionária do órgão advertiu que a ajuda humanitária e o financiamento da reconstrução do Haiti devem ser feitos de forma paralela.

"A doação com cunho humanitário é o primeiro passo para uma boa reconstrução", disse Byrs em entrevista à BBC Mundo.

"Se não ajudarmos as pessoas, se elas não puderem sobreviver, então a própria reconstrução não será possível", afirmou.

"É preciso que os haitianos possam ter emprego, abrigo, para recuperar seu meio de vida, para poder levar os filhos ao médico se ficarem doentes."
Cifra revista
A ONU havia pedido a doação de US$ 577 milhões no dia 12 de janeiro, quando ocorreu o terremoto que matou mais de 200 mil pessoas no Haiti. A cifra foi revista no dia 18 de fevereiro, e a organização pediu US$ 1,4 bilhão como fundo de emergência.

"O primeiro pedido que fizemos foi atendido em três semanas. Logo aumentamos o montante e o que vemos agora é lentidão na contribuição dos países", disse Byrs.

"Precisamos de uma resposta o mais depressa possível, porque há setores-chave que necessitam de dinheiro, tais como abrigo e alimentação."
Abrigo
Segundo Byrs, o país vive uma crise humanitária, com mais de 1,3 milhão de pessoas sem teto.

A ONU conseguiu fornecer material para abrigos temporários para 75% dos haitianos que perderam suas casas, mas a meta é proteger todos antes do início da temporada de furacões.

E a porta-voz acrescentou que logo que as tempestades passarem, a população vai precisar desse material para construir casas mais apropriadas, com uma estrutura permanente.

O objetivo da conferência que começa nesta quarta-feira é mobilizar o apoio internacional para o desenvolvimento e a recuperação do Haiti no longo prazo. A meta mais imediata é conseguir US$ 3,8 bilhões para começar a reconstrução do país.

Os projetos de reconstrução para os próximos dez anos estão orçados em quase US$ 11,5 bilhões.

O Haiti é um dos países mais pobres do Hemisfério Ocidental.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h16

    -0,05
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host