UOL Notícias Notícias
 

05/04/2010 - 21h41

EUA condenam ataque a consulado no Paquistão

O governo dos Estados Unidos condenou o ataque desta segunda-feira contra o consulado americano na cidade de Peshawar, no noroeste do Paquistão, segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

A principal facção do Talebã paquistanês assumiu a autoria do ataque, que deixou sete mortos, entre eles quatro militantes e três seguranças do local. Nenhum americano morreu no incidente.

Gibbs afirmou que os stados Unidos demonstraram "grande preocupação" com o incidente.

"Nós condenamos com firmeza a violência", disse Gibbs.

Em comunicado, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou que estava "ultrajada e profundamente entristecida" pelo ataque.

"O ataque é parte de uma onda de violência perpetrada por extremistas brutais que buscam ameaçar a democracia do Paquistão e disseminar medo e discórdia", disse.

Houve várias explosões na área próxima ao consulado e prédios desabaram. Após o atentado, houve uma batalha entre a polícia e militantes armados.

Outros ataques O ataque contra o consulado americano ocorreu horas após pelo menos 43 pessoas terem sido mortas em um atentado suicida no distrito do Baixo Dir, a cerca de 80 km de distância de Peshawar.

Investigadores suspeitam que os dois ataques tenham sido coordenados.

De acordo com as autoridades paquistanesas, os ataques foram bem organizados, mas a ordem já foi restabelecida.

O correspondente da BBC em Islamabad, Shoaib Hasan, disse que esse foi o primeiro ataque de sucesso contra um alvo dos Estados Unidos no Paquistão nos últimos quatro anos.

Em 2006, um diplomata americano foi morto por um carro bomba perto do consulado americano em Karachi, dias antes de uma visita ao país do então presidente americano, George W. Bush.

Peshawar, na fronteira das regiões tribais do Paquistão, tem sido alvo de frequentes ataques de militantes islâmicos.

Segundo analistas, os ataques seriam uma resposta a uma grande operação de segurança lançada na região na semana passada.

O ataque anterior, no distrito de Baixo Dir, ocorreu durante uma manifestação organizada pelo Partido Nacional Awami, de tendência nacionalista e secular e que se opõe fortemente ao Talebã e a outros militantes islâmicos.

Centenas de pessoas participavam da manifestação.

Funcionários dos serviços de emergência ainda estão procurando mais vítimas sob os escombros. Até o momento, foi confirmada a morte de 43 pessoas.

Dezenas de líderes locais foram mortos por militantes durante os dois anos em que o Talebã controlou os distritos de Swat, Dir e Buner, até que, no ano passado, forças do governo retomaram o controle da região.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,22
    3,148
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    0,64
    65.099,56
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host