UOL Notícias Notícias
 

15/04/2010 - 11h23

Erupção de vulcão de geleira na Islândia em 1821 durou dois anos

A nuvem de cinzas que causou o cancelamento de voos em toda a Europa nesta quinta-feira veio de uma série de erupções de um vulcão em uma geleira na Islândia que começou no dia 20 de março. Trata-se da primeira erupção desse vulcão em quase duzentos anos.

De acordo com o site islandês de notícias Iceland Review, a última erupção na geleira de Eyjafjallajoekull durou dois anos, de 1821 a 1823. Esta erupção provocou uma enchente, resultante do derretimento da geleira. Segundo o Iceland Review, há temores de que o mersmo ocorra de novo na região. Apenas outra erupção tinha sido registrada na geleira antes, em 1612.

O vulcão em Eyjafjallajokull está entre os maiores da Islândia e é um dos poucos do país que pode ser classificado como estratovulcão, um tipo muito comum no resto do mundo, formado por camadas. O vulcão tem 1.660 metros de altura e, a partir dos 900 metros, é coberto por gelo.

De acordo com informações na página do Instituto de Ciências da Terra da Universidade da Islândia, a nova fase da erupção do vulcão da geleira de Eyjafjallajoekull começou na meia-noite do dia 14 de abril, com tremores de terra e pequenas erupções, que foram visualizadas pela manhã. Fogo e gelo

Segundo o especialista em meio ambiente da BBC Richard Black, a erupção ocorreu debaixo da geleira e a força combinada do fogo e do gelo liberou a poeira em uma coluna que subiu mais de dez quilômetros. Mas, apesar da altura, Black afirma que a quantidade total de volume de material liberado é comparativamente pequena.

Especialistas acreditam que a poeira vai se dissipar naturalmente na atmosfera, caindo gradualmente na superfície terrestre. Para Dave Rothery, especialista em vulcões na Open University da Grã-Bretanha, a situação deverá se acalmar. "Não acho que a erupção acabou, teremos mais questões ligadas à lava (expelida pelo vulcão), o que vai ser bom para os turistas. Duvido que ocorra outra grande explosão, duvido que haja alguma outra enchente. Se a erupção continuar do jeito que está, acho que o pior já passou", disse.

Black afirma que vulcões são como um meio de vida para a Islândia, país que está localizado em uma região onde duas placas tectônicas se afastam uma da outra, com rocha derretida subindo, debaixo da superfície da Terra, para preencher as falhas. Inundação e pastagens Ólafur Eggertsson, fazendeiro de uma região próxima à geleira, relatou ao Iceland Review que sua fazenda foi atingida por uma enchente na tarde de quarta-feira.

O rio inundou as pastagens e também trouxe lama. Já em outra região próxima de Eyjafjallajoekull, fazendeiros e equipes de resgate estão recolhendo ovelhas dos campos devido à queda de cinzas causada pela erupção. A fazendeira Sigurlaug Sigurdardóttir também relatou ao Iceland Review Online que na manhã desta quinta-feira estava tão escuro devido às cinzas que ele não conseguia ver a casa do vizinho.

"Há uma névoa cinza cobrindo tudo. Os carros estão cinzentos", disse. O Iceland Review relatou também que a maioria das 700 pessoas que foram retiradas da região da erupção na quarta-feira já puderam voltar para suas casas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host