UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 19h22

Vulcão na Islândia lança nova nuvem de cinzas

A atividade do vulcão Eyjafjallajoekull, na Islândia, se intensificou e uma nova nuvem de cinzas está se espalhando sobre a Grã-Bretanha, segundo informações divulgadas na noite desta segunda-feira pelo Centro de Controle do Tráfego Aéreo do país (Nats, na sigla em inglês).

Em nota, o órgão afirmou que a mudança na atividade vulcânica pode interferir na abertura do espaço aéreo de alguns países, prevista para esta terça-feira.

"As informações mais recentes do Escritório de Meteorologia mostram que a situação está piorando em algumas áreas", diz a nota.

Ainda de acordo com o órgão, com base nas novas informações, a situação dos aeroportos da Irlanda do Norte permanece incerta para a manhã de terça-feira. Os aeropostos da Escócia estariam previstos para funcionar a partir das 7h (horário local, 3h em Brasília) e algumas áreas da Inglaterra poderiam estar disponíveis na parte da tarde.

O Nats afirmou, no entanto, que os aeroportos de Londres permaneceriam fechados.

Mudanças Segundo o Nats, os novos dados demonstram a rapidez da mudança de condições na qual as agências estão trabalhando.

Isso porque mais cedo, geólogos islandeses que monitoram o vulcão Eyjafjallajoekull afirmaram que a erupção havia entrado em uma nova fase, na qual mais lava estaria sendo produzida, em vez de cinzas e pó. Mas, eles também alertaram que o vulcão ainda estava bastante ativo e poderia causar novas erupções em vulcões próximos.

Além dos geólogos, um cientista britânico que vem monitorando a erupção do vulcão da geleira disse à BBC que estava "cautelosamente otimista", já que a emissão de cinzas parecia ter começado a diminuir.

David Rothery, do Departamento de Ciências Ambientais e da Terra da Open University, afirmou que suas mais recentes observações mostraram que não havia mais uma coluna de cinzas sendo lançada a altas altitudes pelo vulcão, apesar de ele ainda estar em erupção.

A nuvem de cinzas vulcânicas originadas na Islândia na última quarta-feira se espalhou pelo resto do norte da Europa, levando ao fechamento do espaço aéreo em 20 países e provocando uma das maiores crises já enfrentadas pela aviação civil.

Segundo Rothery, o que torna este vulcão tão diferente dos demais no resto do mundo é uma combinação de fogo e gelo.

Como sua base está sob uma geleira, o calor do vulcão faz o gelo evaporar. Esse vapor, por sua vez, provoca erupções explosivas que lançam minúsculos fragmentos de rocha a grandes altitudes.

Para Rothery o que está ocorrendo no coração do Eyjafjallajoekull é que as águas derretidas da geleira estão sendo impedidas de se misturar com o magma por uma nova parede de lava solidificada.

Ele afirmou ainda que uma nova fissura poderia se abrir a qualquer momento e lançar uma nova nuvem de cinzas gigante na atmosfera - o que, segundo o Nats, estaria acontecendo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host