UOL Notícias Notícias
 

12/05/2010 - 11h34

Cameron e Clegg prometem governo 'duradouro'

O novo primeiro-ministro britânico, David Cameron, e seu vice, Nick Clegg, prometeram nesta quarta-feira colocar as diferenças partidárias de lado para garantir um governo estável e duradouro.

O novo governo britânico, formado por uma coalizão entre o Partido Conservador, de Cameron, e o Partido Liberal Democrata, de Clegg, tomou posse na tarde de terça-feira, após a renúncia do então premiê Gordon Brown, do Partido Trabalhista.

Esta é o primeiro governo de coalizão no país em 65 anos, e a primeira vez na história em que conservadores e liberal-democratas se unem.

A formação de uma coalizão para governar a Grã-Bretanha foi necessária porque nenhum dos três principais partidos conseguiu eleger a maioria dos deputados do Parlamento nas eleições gerais da última quinta-feira.

O Partido Conservador elegeu o maior número de deputados - 306 -, mas ainda aquém dos 326 necessários para obter a maioria absoluta.

O Partido Trabalhista, o maior derrotado no pleito, elegeu 258 deputados, enquanto o Partido Liberal Democrata ficou com 57, tornando-se assim decisivo na formação do novo governo.

'Mudança histórica' Durante uma entrevista coletiva no início da tarde desta quarta-feira, o novo primeiro-ministro afirmou que o novo governo marca uma "mudança histórica e radical" na política britânica.

Um dos pontos do acordo entre os dois partidos é a garantia de que o mandato dos atuais deputados serão fixados em cinco anos, evitando a ameaça de uma eleição antecipada no curto prazo.

Atualmente, as eleições gerais devem acontecer no mínimo de cinco em cinco anos, mas o primeiro-ministro tem a prerrogativa de convocar eleições antecipadas.

Após a divulgação do resultado das eleições da semana passada, muitos analistas consideravam inevitável a realização de uma nova eleição, possivelmente ainda neste ano, independentemente da formação de uma coalizão imediata para o governo.

"Até hoje éramos rivais, mas agora somos colegas", afirmou Clegg durante a entrevista. Segundo ele, a coalizão será duradoura por ter sido negociada com "um propósito comum".

Cameron, por sua vez, prometeu uma "nova política" visando o "interesse nacional". "Ambos os partidos deram seu total apoio à coalizão", garantiu.

'Bom humor' A entrevista de ambos foi marcada pelo bom humor, mesmo diante da pergunta de um repórter a Cameron, questionando se o premiê se arrependia de ter dito, durante a campanha, que a melhor piada que conhecia era "Nick Clegg".

"Tenho que confessar que disse isso mesmo", admitiu Cameron. Clegg, ao seu lado, brincou, rindo: "Então vou embora".

Cameron então disse que ambos estão trabalhando "num contexto maior, para garantir um governo estável", mesmo que isso signifique "engolir algumas de nossas palavras".

Cameron e Clegg confirmaram ainda a proposta para a realização de um referendo sobre a reforma no sistema eleitoral, uma demanda dos liberal-democratas que poderia ajudar o partido a aumentar a sua participação no Parlamento.

O sistema atual de votação distrital favorece o bipartidarismo. O Partido Liberal Democrata teve 23% dos votos nas eleições da semana passada, mas elegeu menos de 9% dos deputados.

Fim de um período A chegada de Cameron ao poder marca o fim da um período de 13 anos de governos liderados pelo Partido Trabalhista - com Tony Blair entre 1997 e 2007, e Gordon Brown entre 2007 e 2010.

Cameron, de 43 anos, é seis meses mais novo do que era Blair quando assumiu o cargo de primeiro-ministro. O líder conservador é também o mais jovem premiê desde 1812.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host