UOL Notícias Notícias
 

14/05/2010 - 22h46

Sobrevivente é informado que família morreu em queda de avião na Líbia

O garoto holandês de nove anos de idade que foi o único sobrevivente de um acidente de avião que matou 103 pessoas na Líbia, na última quarta-feira, foi informado nesta sexta-feira que seus pais e seu irmão morreram no incidente.

"Nesta manhã, nós explicamos para Ruben exatamente o que aconteceu", afirmaram os familiares do garoto Ruben van Assow por meio de um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores da Holanda.

"Ele sabe que seus pais e seu irmão morreram", disseram o tio e a tia do garoto, que afirmaram que, agora, "a família inteira cuidará do futuro de Ruben".

Ainda segundo o comunicado, o garoto passa bem, "considerando as circunstâncias" e, apesar de dormir muito, está lúcido quando acordado.

"Ele bebeu um pouco (de água) e viu flores e brinquedos".

"O período que se segue será difícil para nós. Esperamos que a imprensa respeite nossa privacidade".

Acidente Ruben estava no Airbus 330 da Afriqiyah Airways que caiu pouco antes de chegar ao aeroporto de Trípoli, capital da Líbia, na última quarta-feira.

Ele voltava de férias na África do Sul com seus pais, Trudy e Patrick van Assow, e seu irmão mais velho, Enzo. A família celebrava o aniversário de doze anos e meio do matrimônio do casal, um costume holandês.

Após o acidente, Ruben foi encontrado ainda respirando pelas equipes de resgate e passou por uma cirurgia por ter tido múltiplas fraturas nas pernas.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores da Holanda, Ruben voltará ao seu país natal neste sábado, acompanhado dos tios e de um médico.

O local onde irá pousar o avião que levará o garoto até a Holanda não foi informado para evitar a presença da imprensa.

Investigações O avião - que levava 93 passageiros e 11 tripulantes - caiu quando chegava da cidade de Johannesburgo, na África do Sul, na manhã de quarta-feira.

As autoridades ainda investigam as causas do acidente e as caixas-pretas da aeronave foram enviadas para a França para serem examinadas.

Especialistas de Holanda, França, África do Sul e Estados Unidos estão na Líbia para auxiliarem nas investigações.

Autoridades forenses da Holanda também estão no país para ajudar na identificação das vítimas, que eram em sua maioria holandesas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host