UOL Notícias Notícias
 

27/05/2010 - 22h09

Farc chamam à abstenção em eleições presidenciais na Colômbia

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) convocaram nesta quinta-feira os eleitores colombianos à abstenção nas eleições presidenciais do próximo domingo por considera que todos os candidatos "prometem mais gasto militar e mais guerra".

Por meio de um comunicado difundido nesta quinta-feira pela agência Anncol, a guerrilha afirma que nenhum candidato presidencial abordou durante a campanha "os temas vitais que têm à nação no profundo abismo de desigualdades e terror", diz o documento.

"É obscuro o horizonte que desejam esses candidatos e, por essas razões, estamos convocando à abstenção, convencidos de que só a força de mobilização de todos os colombianos poderá impor um destino certo de paz e justiça", diz a guerrilha no comunicado.

No comunicado, as Farc afirmam que o mandato de Álvaro Uribe, que termina em agosto, foi um "período escuro e letal" que "jamais se apagará da história da Colômbia".

Interior A guerrilha ainda criticou os escândalos que marcaram a gestão Uribe como os casos de espionagem da agência de inteligência DAS e o caso chamado de falsos-positivos, quando o Exército passou a utilizar como prática o assassinato de jovens da periferia para inflar os números de guerrilheiros mortos em combate.

No comunicado, as Farc afirmam que sua intenção era conquistar "uma mudança de regime pacificamente", mas que esse caminho "nos foi fechado violentamente com o pretexto fascista oficial de combater supostas 'repúblicas independentes'".

Como costuma acontecer históricamente, as Farc e do Exército de LIbertação Nacional (ELN) intensificaram suas ações no interior do país como mecanismo de demonstração de força frente ao governo.

Nesta quinta-feira, as Forças Armadas da Colômbia anunciaram estado de alerta máximo para garantir a normalidade das eleições presidenciais, em especial, nos seis departamentos (estados) em que os grupos rebeldes têm mais influência.

No domingo, os colombianos irão às urnas para eleger o sucessor do presidente Álvaro Uribe, após oito anos de governo. Na corrida eleitoral aparecem empatados o candidato governista Juan Manuel Santos e o candidato do partido Verde, Antanas Mockus.

Se nenhum dos nove candidatos que concorrem ao pleito alcançar 50% dos votos mais 1, as eleições serão levadas à segundo turno, que deve ser realizado em 20 de junho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host