UOL Notícias Notícias
 

31/05/2010 - 09h01

Gaza: conheça algumas reações internacionais ao ataque à frota

Ao menos 10 pessoas morreram quando forças de Israel interceptaram e atacaram um comboio de embarcações que levava ajuda humanitária à Faixa de Gaza. Um barco turco que liderava a frota estava entre os atacados. Houve forte reação internacional ao incidente. Conheça algumas delas.

Daniel Ayalon, vice-ministro das Relações Exteriores de Israel
"A frota de ódio e violência em apoio à organização terrorista Hamas foi uma provocação premeditada e ultrajante. Os organizadores são conhecidos por seus laços com a jihad (guerra santa) internacional, com al-Qaeda e Hamas. Eles têm uma história de contrabando de armas e de terrorismo letal.

A bordo do barco, encontramos armas preparadas antecipadamente, e usadas contra nossas forças. As intenções dos organizadores eram violentas, seus métodos eram violentos e os resultados foram violentos. Israel lamenta qualquer perda de vidas e fez de tudo para evitar esse desfecho".

Ministério das Relações Exteriores da Turquia
"Condenamos com veemência essas práticas desumanas de Israel. Esse incidente deplorável, que aconteceu em mar aberto e constitui uma violação flagrante das leis internacionais, pode levar a consequências irreparáveis em nossas relações bilaterais".

Greta Berlin, porta-voz do Movimento Free Gaza
"É revoltante que eles tenham abordado e atacado civis. Somos civis.
Como o Exército de Israel pode atacar civis assim? Eles acham que porque podem atacar palestinos indiscriminadamente podem atacar qualquer um?"

Saeb Erekat, negociador-chefe palestino
"O que vimos essa manhã foi um crime de guerra. Esses eram barcos civis, carregando civis e bens civis - remédios, cadeiras de roda, comida, material de construção - destinados aos 1,5 milhão de palestinos confinados sob um cerco cruel e criminoso de Israel. E, por conta disso, muitos pagaram com suas vidas. O que Israel faz em Gaza é chocante; nenhum ser humano decente e informado pode dizer o contrário.

Os civis desarmados foram atacados em barcos estrangeiros enquanto navegavam em águas internacionais. Esse é um outro incidente que confirma que Israel age como um Estado acima da lei. A comunidade internacional deve tomar medidas rápidas e apropriadas".

Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro de Israel
"Apesar de nossos marinheiros terem sido instruídos a exercer controle máximo, eles foram atacados. Eles foram atacados com facas, com barras de metal, e com armas de fogo.

Infelizmente temos 10 militares feridos, um deles muito, muito seriamente. A violência foi iniciada, infelizmente, por esses ativistas, e isso é lamentável".

Sami Abu Zuhri, porta-voz do Hamas
"Nós no Hamas consideramos o ataque de Israel à frota da liberdade como um grande crime e uma enorme violação da lei internacional. Apesar do grande dano sofrido pelas pessoas que se juntaram à frota, consideramos que sua mensagem foi passada.

Graças a esses heróis de outros países que mostraram sua solidariedade para com Gaza, o cerco de Israel é agora um assunto internacional, e consideramos que os ocupantes, por causa desse crime, é que estão sitiados agora".

Escritório da Baronesa Ashton, Alta Representante para Relações Exteriores da União Européia
"A Alta Representante Catherine Ashton expressa seu profundo pesar diante da notícia da perda de vidas e da violência e envia suas condolências às famílias dos mortos e feridos. Em nome da União Européia, ela exige um inquérito extenso sobre as circunstâncias do incidente.

Ela reitera a posição da União Européia em relação a Gaza - a política de bloqueio contínua é inaceitável e politicamente contraproducente. Ela pede uma abertura imediata, sustentável e incondicional das fronteiras para permitir o fluxo de ajuda humanitária, bens comerciais e pessoas de e para Gaza".

Amr Moussa, secretário-geral da Liga Árabe
"O secretário-geral da Liga Árabe convocou uma reunião urgente no nível de representantes para investigar esse crime hediondo cometido pelas forças de Israel contra civis desarmados, que deixou mortos e feridos. A Liga Árabe condena fortemente esse ato terrorista".

Altos oficiais da ONU Robert Serry e Filippo Grandi
"Estamos chocados com os relatos de mortos e feridos entre pessoas a bordo de barcos carregando suprimentos para Gaza, aparentemente em águas internacionais. Condenamos a violência e exigimos seu fim. A situação ainda está se desenrolando e estamos esperando confirmação do que aconteceu.

Desejamos deixar claro que tais tragédias são inteiramente evitáveis se Israel aceitar os chamados repetidos da comunidade internacional para pôr fim a esse bloqueio contrapoducente e inaceitável de Gaza".

Navi Pillay, alto comissário da ONU para Direitos Humanos
"Para estimular a reconciliação política a longo prazo, exorto o governo (de Israel) a garantir que uma investigação independente dos recentes episódios seja conduzida, e que os considerados responsáveis por violações dos direitos humanos sejam julgados".

Bernard Kouchner, ministro das Relações Exteriores da França
"Estou profundamente chocado com as trágicas consequências da operação militar de Israel contra a frota de paz para Gaza. Nada pode justificar o uso de violência como essa, o que condenamos.

As circunstâncias desse drama devem ser totalmente esclarecidas e desejamos que um inquérito em profundidade seja estabelecido sem atraso".

Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã
"A ação desumana do regime sionista contra o povo palestino, impedindo que ajuda humanitária chegue aos moradores de Gaza, mostra não a força desse regime, mas sim um sinal de sua fraqueza, e tudo isso leva esse regime sinistro e falso para mais perto de seu fim do que nunca".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,28
    3,182
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,29
    64.676,55
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host