UOL Notícias Notícias
 

11/06/2010 - 07h20

Noiva presa suspeita de casamento 'ilegal' diz estar com 'coração partido'

Uma noiva presa em um cartório britânico pouco antes do início de sua cerimônia de casamento disse ser inocente e estar "com o coração partido".

Kamila Snarska, a noiva polonesa de 19 anos, foi presa pelas autoridades britânicas de imigração no dia do seu casamento, de véu e grinalda, no cartório de Oxford. O casal foi denunciado pela juíza local que desconfiou que o relacionamento dos dois fosse forjado.

Ela é suspeita de forjar um relacionamento com vistas a obter uma autorização para o noivo, Amrik Singh Dahnju, um cidadão indiano de 30 anos, viver na União Europeia.

A noiva, que não domina o inglês, disse à policia que tinha a intenção genuína de se casar com Amrik. Ela disse ainda que os dois viviam juntos há um ano na cidade de Oxford e que tinham dois gatos.

Validade O casal não se vê desde a terça-feira, quando a batida das autoridades de imigração terminou levando cada um em um carro separado.

Kamila recebeu uma advertência e Amrik, acusado de falso testemunho, deve permanecer detido até o dia 8 de julho.

"Estamos assombrados com todas essas alegações de casamento arranjado que estão sendo feitas", disse o advogado que representa o casal, Balvinder Hayre, do escritório BHB Law em Coventry.

"Nossos clientes nos procuraram para aconselhamento e deram entrada no Departamento do Interior com base na permissão que tinham para se casar." O advogado disse que "em nenhum momento houve qualquer disputa em relação à validade do relacionamento" e que é "terrível" que isto tenha vindo à tona justamente no dia do casamento.

Um britânico de 47 anos foi preso e liberado sob fiança e uma segunda mulher de nacionalidade polonesa foi liberada sem acusação.

Casamentos ilegais O ministério do Interior britânico publicou estatísticas no início deste ano sobre o número de casamentos, envolvendo imigrantes, sob suspeita.

Segundo o ministério, 529 casos suspeitos foram reportados pelas autoridades locais em 2009, o que representa um salto de 54% em relação ao total de 2008.

Uma investigação da BBC mostrou que, em muitos casos, quadrilhas usam noivas de países do leste-europeu que fazem parte da União Europeia para conseguir vistos para imigrantes ilegais.

Mark Rimmer, superintendente da área de registros civis de uma região de Londres, disse à BBC que as autoridades desconfiaram que havia fraudes quando começaram a ver um grande aumento no número de casamentos em que os noivos não conseguiam se comunicar pela barreira do idioma.

Segundo o ministério do Interior, não são emitidos vistos quando há suspeita de casamento ilegal, até que os noivos consigam convencer as autoridades que a união é genuína.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host