UOL Notícias Notícias
 

15/06/2010 - 13h12

Estudante de Harvard luta contra deportação e vira símbolo nos EUA

O estudante mexicano Eric Balderas, que cursa o segundo ano na Universidade de Harvard (nordeste dos Estados Unidos), foi detido pela polícia de imigração do Texas e se transformou em um símbolo da situação de centenas de milhares de estudantes sem documentos no país. Estudante de biologia, Balderas, de 19 anos, vive sem documentos nos Estados Unidos há 15 anos e agora poderá ser deportado. O jovem imigrante foi detido pelas autoridades do Texas quando tentava viajar de San Antonio para Boston com uma identificação consular e seu documento de identidade da universidade. Agora, Balderas deverá comparecer perante um juiz de imigração no próximo 6 de julho. O caso do mexicano reforça a campanha a favor a aprovação, pelo Congresso americano, do projeto de lei chamado Desenvolvimento, Assistência e Educação de Menores Estrangeiros ("Dream", na sigla em inglês), para regularizar a situação de imigrantes que entraram no país sem documentos quando eram menores de idade. A lei Dream, palavra que em inglês significa "sonho", daria a jovens sem documentos o status de residentes temporários, com a condição de que eles completem logo os estudos superiores ou então sirvam pelo menos dois anos nas Forças Armadas. A detenção e possível deportação de Balderas levaram a Universidade de Harvard a divulgar uma mensagem de apoio ao estudante. A famosa universidade, por meio de Christine Heenan, vice-presidente de comunicações da instituição, afirmou que estudantes como Balderas "são vitais" para o futuro dos Estados Unidos. "Eric Balderas já demonstrou a disciplina e a ética de trabalho necessárias para o rigoroso trabalho universitário e, como muitos de nossos estudantes de graduação, já expressou seu interesse em contribuir com o mundo", acrescentou a funcionária da universidade. Pesquisa e futuro Balderas afirma que sonha em ser biólogo e contribuir na pesquisa sobre o câncer. Quando perguntado pela BBC o que vai acontecer se as autoridades imigratórias dos Estados Unidos decidirem que ele deve ser deportado para o México, país que abandonou quando tinha apenas quatro anos, o estudante prefere não contar com esta possibilidade. "Não quero nem pensar nisto", disse. "Só quero dizer que aqui é meu futuro e eu o perderia totalmente se fosse embora." Balderas afirma que para conseguir entrar no curso de biologia em Harvard trabalhou duro. "Apresentei boas qualificações, e participei de várias atividades", disse. O jovem foi o primeiro em sua classe de graduação na escola secundária Highland High School em San Antonio, Texas. O estudante acrescentou que quando fez o pedido para entrar em Harvard escreveu um ensaio sobre suas aspirações no qual explicou que ainda não sabia o que queria fazer, pois "havia tantas possibilidades, mas desejava fazer algo que ajude e afete muitos". "Agora estou mais seguro. Quero ser biólogo e quero estudar o câncer e realizar pesquisas científicas sobre o câncer", afirmou. Facebook Mario Riojas, também estudante de Harvard, abriu uma página no site de relacionamentos Facebook de apoio a Balderas, que afirma ser seu melhor amigo. "São estudantes como Eric que precisamos nos Estados Unidos", disse. O nome de Balderas também aparece em muitas outras redes sociais, onde aumentam as mensagens de apoio ao seu caso. Rojas contou que "apenas durante um final de semana 1,5 mil membros se uniram à causa de Eric (no Facebook) e todos estão prontos para apelar para o senador (Scott) Brown, que é de Massachusetts, para pedir que apoie a lei Dream". "Isto é algo que me deixa muito preocupado, pois é algo que eu enfrentei antes", acrescentou o estudante guatemalteco que também já foi detido por agentes da imigração. Movimento nacional Balderas e Rojas já fazem parte de um movimento estudantil nacional que reivindica a aprovação da lei Dream no Congresso americano. Agora a luta para que os que entraram nos Estados Unidos ilegalmente antes da idade adulta recebam a cidadania se intensificou. "Temos a esperança de que a lei Dream seja aprovada, para os jovens que estão aqui na mesma situação", disse Balderas. "Este (caso de Balderas) demonstra a necessidade de aprovação da lei Dream", disse Rojas. "Esperamos que haja uma solução e a solução seria a aprovação da lei antes que chegue a data (de deportação) de Eric", acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,97
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,99
    64.389,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host