UOL Notícias Notícias
 

25/06/2010 - 00h06

Obama e Medvedev elogiam retomada de laços entre EUA e Rússia

O presidente russo, Dmitry Medvedev, e o americano, Barack Obama, marcaram a retomada da relação mais amistosa entre os dois países nesta quinta-feira, na primeira visita do líder da Rússia à Casa Branca, em Washington.

O encontro entre os dois presidentes foi marcado pela informalidade, com Obama levando Medvedev para um almoço "tipicamente americano", com hambúrguer e batatas fritas, em uma lanchonete em Arlington, perto de Washington e os dois líderes voltando juntos em um mesmo carro para a Casa Branca.

Depois da reunião, Medvedev foi para o Canadá, para participar da reunião de cúpula dos países membros do G20 e do G8.

Falando logo depois da reunião, Obama afirmou que os dois presidentes conseguiram "retomar nossa relação" e acrescentou que os Estados Unidos apoiam a entrada da Rússia na Organização Mundial de Comércio (OMC).

Obama também anunciou que o governo russo vai permitir que os Estados Unidos retomem a exportação de aves para a Rússia depois de uma suspensão de seis meses.

"Nosso país está mais seguro e o mundo está mais seguro quando os Estados Unidos e a Rússia se dão bem", disse Obama a jornalistas.

Mas, o presidente americano reconheceu que ainda existem questões nas quais os dois países discordam, como a questão da antiga república soviética da Geórgia, com a qual a Rússia entrou em um rápido conflito há dois anos.

OMC A Rússia já queria entrar para a OMC há algum tempo, mas os Estados Unidos insistiam que o governo russo deveria fazer mais para garantir os direitos de propriedade intelectual.

Nesta quinta-feira, Obama afirmou que qualquer barreira técnica à entrada da Rússia na organização deve ser superada rapidamente.

Na reunião os dois países também concordaram em enviar mais ajuda ao Quirguistão, depois dos conflitos étnicos que ocorreram no país da Ásia Central.

Medvedev afirmou que acredita que o país está vulnerável a "elementos radicais" e a situação poderá "degenerar".

"Estamos muito preocupados com estas condições, os radicais podem chegar ao poder", afirmou o presidente russo.

Os dois líderes também destacaram a cooperação na luta contra o terrorismo e reiteraram o compromisso para ratificar um tratado assinado em abril para reduzir armas nucleares.

Obama também aprovou o apoio da Rússia às sanções contra o Irã.

Depois de anos de relações frias, Obama afirmou que discussões como a desta quinta-feira, com o governo russo, seriam improváveis 17 meses atrás.

"Quando assumi a presidência, a relação entre Estados Unidos e Rússia tinha ido talvez para seu ponto mais baixo desde a Guerra Fria", disse.

"Havia tanta desconfiança e tão pouco trabalho real em questões de interesse comum." Diplomacia do hambúrguer Medvedev já tinha visitado Washington em abril, durante uma reunião para discutir questões nucleares, mas esta foi a primeira vez que o presidente russo foi recebido na Casa Branca.

E, na hora do almoço, os dois líderes resolveram sair da Casa Branca e visitar, de surpresa, uma lanchonete em Arlington, Virgínia.

Obama e Medvedev se acomodaram em uma mesa de dois lugares com seus tradutores ao lado e pediram hambúrguers. Obama acompanhou seu lanche de um chá gelado enquanto Medvedev preferiu uma Coca-Cola.

E, seguida, os dois líderes preferiram voltar no mesmo carro para a Casa Branca.

De acordo com a correspondente da BBC em Washington, Kim Ghattas, a informalidade da reunião desta quinta-feira é um sinal de o quanto as relações dos dois países melhoraram durante o governo de Barack Obama.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,84
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h48

    -0,53
    64.805,13
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host