UOL Notícias Notícias
 
11/07/2010 - 12h59 / Atualizada 11/07/2010 - 13h06

Premiê japonês poderá perder controle da Câmara Alta do Parlamento

O partido que governa o Japão, o DPJ, deverá perder o controle da Câmara Alta do Parlamento após as eleições deste domingo, segundo pesquisas de boca-de-urna.

As pesquisas indicam que o partido do primeiro-ministro Naoto Kan poderá conquistar apenas 47 dos assentos disputados.

A eleição é vista como um referendo sobre os dez meses de governo do partido.

Há relatos de que Kan, que se tornou premiê apenas no mês passado, não pretende renunciar.

O DPJ tem atualmente maioria nas duas casas do parlamento, e precisará de coalizões para governar.

Vulnerável O partido tem 62 assentos que não estão em jogo, e com os estimados 47 que deverá conquistar ainda ficaria aquém da maioria de 122 lugares necessária, segundo a televisão pública japonesa NHK.

O DPJ ainda tem a maioria na Câmara Baixa, que é mais poderosa, mas sua capacidade de governar de forma eficaz ficará comprometida.

O correspondente da BBC em Tóquio, Roland Buerk, disse que o que está em jogo é se o primeiro-ministro conseguirá construir uma base política estável para enfrentar o enorme déficit público.

Segundo Buerk, Kan precisa agora procurar aliados entre os partidos menores e o resultado da eleição poderá deixá-lo vulnerável a desafios à sua liderança dentro do próprio partido.

O DPJ chegou ao poder em agosto de 2009, acabando com meio século de liderança se seu rival, o Partido Liberal Democrata.

Kan sucedeu Yukio Hatoyama, que renunciou abruptamente após apenas nove meses em meio a escândalos de corrupção e à polêmica sobre uma base americana no país.

O líder japonês enfrentava forte pressão por não conseguir cumprir a promessa de campanha de retirar da ilha de Okinawa a base americana que existe na região.

Campanha A campanha foi dominada pela sugestão do atual premiê de que o Japão precisa discutir a possibilidade de aumento no imposto sobre as transações comerciais, uma questão que divide os eleitores, segundo o correspondente da BBC.

Kan disse que o Japão precisa evitar o colapso financeiro.

"A economia japonesa é de 20 a 30 vezes maior do que a da Grécia e seu déficit público é enorme, então nenhum país no mundo poderia resgatar o Japão", disse Kan na sexta-feira se referindo à crise deficitária grega.

O Japão vem se endividando há duas décadas, tentando tirar sua economia da estagnação.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    -0,37
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h02

    -0,12
    65.196,83
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host