UOL Notícias Notícias
 
20/07/2010 - 05h43

Órgão da ONU recomenda pimenta para afugentar elefantes

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) está aconselhando fazendeiros a usarem pistolas com balas de pimenta para afugentar elefantes que invadem suas plantações, um problema comum em certas regiões do mundo.

Essa é uma das recomendações incluídas em um kit produzido pela FAO que tem o objetivo de orientar as pessoas sobre como evitar confrontos com animais selvagens e, assim, poupar vidas.

Entre outras recomendações caseiras, ele sugere que fazendeiros mantenham um burro de guarda (em vez de um cão de guarda) em suas lavouras para afastar leões, leopardos e hienas.

Para afugentar babuínos, a FAO sugere deixar ao alcance dos animais um pão com uma cobra, de preferência viva, dentro dele. Ao tentar comer o "sanduíche de cobra", os babuínos têm um grande susto e, no futuro, passam a evitar o local.

O livro foi elaborado em conjunto por especialistas de várias entidades ligadas à pesquisa agrícola e ao desenvolvimento e pela ONG de defesa da fauna WWF.

Tijolos de esterco Segundo René Czudek, funcionário do setor de Florestas e Vida Selvagem da FAO, a possibilidade de ataques de animais selvagens é preocupante na África.

No continente africano, que tem as maiores reservas de vida selvagem do mundo, a população deve dobrar de um para dois bilhões nos próximos 40 anos, estima a FAO.

Isso significa que homens e vida selvagem estão tendo de compartilhar espaços cada vez menores, o que produz uma ameaça crescente à vida, saúde e sustento da população - e à sobrevivência dos animais.

No caso dos elefantes, a estimativa do prejuízo causado pelos animais quando eles invadem plantações para se alimentar chega a US$ 510 por fazendeiro, em Camarões.

Mas os animais odeiam um tipo de pimenta, e os fazendeiros pode usar uma arma especial de plástico que atira bolas de pingue pongue com a pimenta para afugentá-los, recomenda o kit.

Outra opção sugerida pela FAO é fabricar tijolos de esterco de elefante e pimenta, colocá-los ao redor das plantações e botar fogo neles - a fumaça espanta os paquidermes, diz o órgão da ONU.

O kit da FAO procura dar conselhos para evitar os confrontos entre animais e humanos por meio de um melhor planejamento do uso da terra. Os fazendeiros, por exemplo, são aconselhados a fazer suas plantações em locais de difícil acesso aos animais.

Crocodilos Segundo o órgão da ONU, acredita-se que atualmente o predador que oferece o maior perigo aos humanos é o crocodilo encontrado no Rio Nilo, que pode chegar a pesar uma tonelada.

Só em Moçambique, o animal seria responsável por 300 mortes anualmente.

Para evitar o problema, a FAO aconselha a construção de cercas e que não se abuse da pesca. O animal se alimenta de peixes e, na falta deles, pode acabar tentando matar a fome com o gado ou com pessoas.

Os hipopótamos, como os elefantes, podem ser afugentados com uma luz forte nos olhos.

Mas a FAO alerta que isso pode ser arriscado, já que os animais são imprevisíveis e, em vez de fugir, podem partir para o confronto nessas situações.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host