UOL Notícias Notícias
 
24/07/2010 - 21h36

BP retoma operação para vedar poço no Golfo do México

Navios e plataformas que participam das operações de fechamento do poço da BP que explodiu em abril no Golfo do México voltaram ao trabalho no sábado, depois que uma tempestade tropical que ameaçava a região perdeu força.

O chefe da Guarda Costeira americana, almirante Thad Allen, disse que o mau tempo atrasou as perfurações do poço de emergência em sete a dez dias.

No entanto, ele destacou que a operação de bombeamento de lama através da tampa que recentemente parou o vazamento pode ser iniciada nos próximos três a cinco dias.

Especialistas dizem que o mar bravio ajudou a dissolver parte da mancha de óleo.

A tempestade também deve deixar algumas praias mais limpas, de acordo com Jane Lubchenco, chefe do serviço de meteorologia americano, o National Oceanic and Atmospheric Administration (Noaa).

A plataforma Development Driller 3, que está perfurando o fundo do mar para concluir um dos dois poços de emergência, e outras embarcações envolvidas na limpeza do petróleo, foram afastadas da região na sexta-feira, sob temores de que a tempestade passasse por lá.

O primeiro poço de emergência deve fica pronto em meados de agosto, segundo o almirante Allen, caso os trabalhos não voltem a ser atrasados pelo mau tempo.

Ele afirmou ainda que até sexta-feira a BP deve começar a bombear lama pesada e cimento pela tampa mecânica instalada há pouco mais de uma semana, na primeira de duas fases para vedar o poço completamente.

Bonnie A tempestade tropical Bonnie perdeu intensidade e se transformou em "uma área desorganizada de chuvas e trovoadas" antes de chegar até a área do vazamento.

Mesmo assim, o mau tempo provocou enchentes no Haiti, em Porto Rico e na República Dominicana. No entanto, não há registros de grandes prejuízos na passagem pela Flórida, quando o sistema perdeu força.

Na semana passada, a BP conseguiu parar o vazamento pela primeira vez desde o dia 20 de abril, quando a plataforma Deepwater Horizon explodiu, matando 11 pessoas e jorrando milhões de litros de petróleo no mar.

A petroleira afirmou que vai iniciar a exploração de petróleo em águas profundas na costa da Líbia nas próximas semanas.

O contrato com o país foi assinado em 2007, e recentemente a empresa admitiu ter feito lobby com o governo britânico por um acordo de transferência de presos entre a Grã-Bretanha e a Líbia.

No entanto, a BP nega envolvimento em negociações do ano passado que culminaram com a libertação de Abdelbaset Ali al-Megrahi, o líbio condenado pela explosão do avião da PanAm em 1988, na qual quase 260 pessoas morreram.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,63
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,87
    65.667,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host