UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 07h46

Entenda o julgamento do ex-presidente da Libéria Charles Taylor

A supermodelo britânica Naomi Campbell depôs nesta quinta-feira como testemunha no processo contra o ex-presidente liberiano Charles Taylor, por crimes de guerra, no Tribunal Especial de Haia para a Serra Leoa, na Holanda.
Ela foi questionada sobre diamantes que teria recebido de presente de Taylor após um jantar na casa do então presidente da África do Sul, Nelson Mandela, em 1997.

Campbell confirmou ter recebido uma bolsa com pedras de dois homens após o jantar e afirmou que uma das pessoas convidadas sugeriu que seriam um presente de Taylor.

O depoimento de Campbell era considerado importante pelos promotores do caso, que tentam ligar Taylor à venda de diamantes para financiar um grupo rebelde durante a guerra civil na Serra Leoa nos anos 1990.

Entenda os detalhes do caso envolvendo um dos principais nomes no centro da instabilidade que envolveu a África Ocidental na década.

Quem é Charles Taylor?
Em 1989, aos 41 anos, Taylor era o líder de um grupo armado e deu início à guerra civil na Libéria, encerrada após um tratado de paz em 1995.

Em 1997, ele foi eleito presidente e seu governo durou seis anos. Em agosto de 2003, rebeldes tomaram a capital do país, forçando-o a ir para o exílio na Nigéria.

Taylor disse que optou por se exilar para acabar com o conflito em seu país.

Quais são as acusações contra ele?
São 11 acusações de crimes de guerra e crimes contra a humanidade relacionadas com uma eventual influência de Taylor na guerra civil na vizinha Serra Leoa, onde o ex-presidente liberiano é acusado de apoiar rebeldes responsabilizados por atrocidades contra civis.

Taylor é suspeito de vender diamantes e comprar armas para a Frente Revolucionária Unida de Serra Leoa, grupo famoso por amputar mãos e pernas de civis durante a revolução que durou cerca de dez anos.

Dezenas de milhares de pessoas morreram nos conflitos interligados na Serra Leoa e na Libéria. A violência chegou também à Costa do Marfim e à Guiné.

Grupos de defesa dos direitos humanos acusam de Taylor de estar no centro da rede de grupos armados da África Ocidental.

Um dos mais importantes promotores do tribunal apoiado pela ONU em Serra Leoa chegou a declarar que Taylor seria um dos homens mais procurados do mundo.

Como o julgamento se tornou uma realidade?
Após 2003, Taylor vinha sendo acusado de violar as regras de seu exílio na Nigéria ao continuar influenciando a política interna na Libéria.

Meses após a posse da presidente liberiana Ellen Johnson-Sirleaf, em 2006, a Nigéria concordou em extraditar Taylor, que fugiu.

Capturado e enviado à Libéria, Charles Taylor foi levado à Serra Leoa pela ONU para aguardar julgamento.

Sua prisão foi considerada um sinal de que os líderes de grupos armados africanos não gozavam mais de impunidade.

Por que o julgamento acontece em Haia?
O julgamento, originalmente previsto para ocorrer em Serra Leoa, foi transferido para a Holanda por causa de temores de instabilidade no país e na vizinha Libéria.

Quanto tempo deve durar o julgamento?
Taylor boicotou a abertura do julgamento, em junho de 2007, dizendo não acreditar que seria julgado com justiça.

Mas em 14 de julho do ano passado, o ex-presidente prestou depoimento pela primeira vez no tribunal, alegando inocência.

A previsão então era de que o julgamento teria uma duração de 18 meses.

A promotoria alega que Taylor não cometeu os crimes pessoalmente, mas sim teria apoiado, ordenado ou compactuado com estes atos.

Se considerado culpado, Taylor deve cumprir pena na Grã-Bretanha.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host