UOL Notícias Notícias
 
07/08/2010 - 16h25

Acusação contra Chávez em Haia é 'salto no vazio', diz Venezuela

O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Nicolas Maduro, disse neste sábado à BBC Brasil que a acusação contra o presidente venezuelano, Hugo Chávez, no Tribunal Penal Internacional é um "salto no vazio".

A poucas horas de deixar o cargo, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, teria dado entrada em um processo contra o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, no Tribunal Penal Internacional por supostos "delitos de guerra e lesa humanidade" e em uma ação contra o Estado venezuelano perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

"Penso que isso já é um tema do passado, que expressa uma época que tem que ficar para trás. É um salto no vazio", afirmou Maduro à BBC Brasil sobre a acusação contra Chávez em haia.

Em tom conciliador, o chanceler venezuelano, que assistirá em Bogotá a posse do novo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, neste sábado, apesar da ruptura de relações com a Colômbia, disse que seu governo quer olhar para o futuro.

"Viemos aqui construir o futuro", afirmou.

Maduro disse que trouxe uma mensagem de Hugo Chávez, que envia "bons desejos (a Santos) para dar passos certeiros no processo de recuperação da confiança".

Ele ainda acrescentou: "Nosso destino é ser povos irmãos, povos unidos".

Acusação de Uribe
A medida contra Chávez em Haia foi anunciada pelo advogado de Uribe, Jaime Granados, em entrevista ao canal colombiano RCN e vem à tona em um momento em que os países da Unasul (União de Nações Sul-Americanas) enviam sinais de distensão na crise diplomática entre Caracas e Bogotá.

De acordo com a imprensa colombiana, a Venezuela é acusada na CIDH por supostamente "proteger terroristas" em seu território, em referência às alegações de que a Venezuela abriga ao menos 1,5 mil guerrilheiros no país. O governo venezuelano nega as acusações.

"Realmente, enviei (a denúncia) hoje à sede de Haia do Tribunal Penal Internacional, ao despacho do promotor-geral dessa instituição, Luis Moreno-Ocampo, e esperamos que tome ação", afirmou o advogado de Uribe.

O advogado disse ainda que as supostas provas contra a Venezuela seriam apresentadas "em seu momento".

Uribe entregará a Presidência a Santos neste sábado, após oito anos de governo. Principal aliado dos Estados Unidos na região, o presidente colombiano foi responsável pelo enfraquecimento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e por resgates de reféns que estavam em poder da guerrilha.

Lula
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está em Bogotá para participar da posse de Santos.

Neste sábado, o brasileiro disse acreditar "cem por cento" na possibilidade de que os governos da Venezuela e Colômbia reatem relações diplomáticas depois da posse de Santos.

A disputa diplomática entre Colômbia e Venezuela teve início há uma semana, quando o governo de Bogotá apresentou ao Conselho Permanente da Organização de Estados Americanos (OEA) supostas provas sobre a presença de guerrilheiros das Farc e do ELN na Venezuela.

Em seguida, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, qualificou de mentirosas as acusações e rompeu relações diplomáticas com a Colômbia.

Para Chávez, as acusações são parte de uma "desculpa" para justificar uma intervenção armada da Colômbia em seu país, que a seu ver, conta com o apoio dos Estados Unidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host