UOL Notícias Notícias
 
23/08/2010 - 15h09

Sequestro na Filipinas termina com oito turistas mortos

O sequestro de um ônibus em Manila, capital das Filipinas, terminou nesta segunda-feira com a morte do sequestrador e oito reféns, todos turistas chineses, após um cerco policial e nove horas de tensão.

Além dos mortos, outras sete pessoas que estavam dentro do ônibus sobreviveram com ferimentos e estão recebendo tratamento médico.
A TV local mostrou pelo menos quatro pessoas saindo do veículo por uma janela durante o cerco. Mais cedo, nove haviam sido libertadas e o motorista escapou, deixando 15 pessoas a bordo.

O ex-policial Rolando Mendoza foi identificado como o responsável pelo sequestro, que foi acompanhado ao vivo por emissoras em todo o mundo.

Ele estava armado com um fuzil M16 e teria pedido carona ao motorista do ônibus, antes de sequestrar o veículo.

Exonerado
A polícia afirmou que 25 pessoas foram feitas reféns no ônibus no fim do domingo, sendo que 22 eram turistas de Hong Kong, e outras três, filipinas - o motorista, um guia e um fotógrafo.

Mendoza, um detetive que foi expulso da polícia filipina em 2008 por acusações de roubo e de tráfico de drogas, teria exigido seu emprego de volta para libertar os reféns, segundo a imprensa local.

Na segunda-feira, o sequestrador colocou uma placa na janela do ônibus, afirmando que a crise seria resolvida até as 3h da tarde de segunda-feira (4h da manhã, no horário de Brasília), mas nada aconteceu após o término do prazo.

Segundo a correspondente da BBC no sudeste asiático Rachel Harvey, depois de horas de uma calma relativa nas negociações entre o criminoso e a polícia, o sequestrador disse a uma rádio local que estava disposto a matar alguns dos reféns. Pouco depois, disparos foram ouvidos.

Policiais armados então cercaram o ônibus e quebraram janelas na tentativa de entrar.

Quando conseguiram, foram recebidos com mais tiros e tiveram que recuar por um momento, voltando a invadir o veículo em seguida.

Pouco depois, imagens de TV mostraram o corpo de um homem, que seria o sequestrador, caído na frente do ônibus. Ele teria sido atingido por atiradores de elite da polícia.

Harvey disse que Mendoza teria recebido treinamento em táticas policiais e, por isso, saberia o que esperar das forças de segurança nessa situação - o que levou a polícia a aumentar sua cautela.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host