UOL Notícias Notícias
 
25/08/2010 - 04h32

Repórter acusa CIA de causar alucinações com LSD na França em 1951

Cerca de 60 anos atrás, uma pequena cidade francesa foi assolada por uma onda repentina de alucinações que deixou cinco pessoas mortas e muitas seriamente doentes.

Durante anos, os incidentes foram atribuídos a uma contaminação por um fungo alucinógeno em uma das padarias da cidade, mas essa teoria agora é questionada pelo repórter investigativo americano Hank Albarelli.

Albarelli defende a tese de que o episódio ocorrido na cidade francesa de Pont-Saint-Esprit foi, na verdade, parte de uma série de experimentos conduzidos por cientistas da CIA com a droga LSD.

A versão do jornalista, no entanto, é contestada pelo acadêmico americano Steven Kaplan. Ele argumenta que os sintomas apresentados na época eram parecidos, mas não exatamente iguais aos provocados pelo LSD.

Por outro lado, o acadêmico - que publicou um livro sobre os acontecimentos em Pont-Saint-Esprit intitulado Le Pain Maudit ("O Pão Maldito", em tradução livre) - diz que a hipótese de contaminação por fungo também não se sustenta.

Tanto Albarelli como Kaplan concordam que o governo francês deveria investigar o assunto.

Armas biológicas
Em um dos casos de Pont-Saint-Esprit, ocorrido no dia 16 de agosto de 1951, o carteiro Leon Armunier entregava suas correspondências quando sofreu uma crise de náusea e violentas alucinações.

"Foi terrível", diz Armunier. "Tive a sensação de que estava encolhendo, encolhendo, enquanto labaredas e serpentes se enrolavam nos meus braços."
O carteiro, hoje com 87 anos, caiu da bicicleta e foi levado a um hospital na cidade vizinha de Avignon, onde ficou internado.

Em suas investigações, o jornalista Hank Albarelli diz ter encontrado um documento da CIA identificado com frases em inglês em linguagem codificada.

Termos como "Pont-Saint-Esprit and F.Olson Files" (Arquivos Pont-Saint-Esprit e F. Olson), "France Operation" (Operação França) e a frase "Hand carry to Belin - tell him to see to it that these are buried" (Entregue em mãos a Belin - diga a ele que tome providências para que isso seja enterrado) teriam oferecido ao jornalista as informações que ele procurava.

Albarelli diz que F. Olson é Frank Olson, um cientista da CIA que, na época do incidente em Sain-Esprit, liderava as pesquisas da CIA sobre o LSD.

Belin seria David Belin, diretor-executivo da Rockefeller Commission, criada pela Casa Branca em 1975 para investigar abusos cometidos pela CIA em todo o mundo.

O jornalista americano avalia que os arquivos intitulados Pont-Saint-Esprit e F. Olson, mencionados no documento, revelariam - se não tivessem sido "enterrados" - que a CIA estava fazendo um experimento com os moradores da cidade, dando a eles doses de LSD.

Pães
No período dos casos de alucinação, médicos concluíram que uma das padarias da cidade, a Roch Briand, teria sido a fonte do envenenamento. Hank Albarelli diz considerar possível que o LSD tenha sido colocado no pão.

Hoje, sabe-se que cientistas que pesquisavam armas biológicas em todo o mundo estavam realizando experiências com LSD no início da década de 1950, época de conflito na então Coreia e de um aumento nas tensões da Guerra Fria.

Albarelli diz ter encontrado um relatório secreto escrito em 1949 pelo diretor de pesquisas do Edgewood Arsenal, uma instalação militar onde foram realizadas muitas das experiências do governo americano com LSD.

No documento, o diretor diz que o Exército deveria fazer todo o possível para lançar "experimentos de campo" com a droga.

Sintomas
O jornalista diz ter obtido também um outro relatório da CIA, escrito em 1954, em que um agente descreve uma conversa com um representante da indústria química Sandoz Chemical, na Suíça.

A sede da Sandoz, situada a poucos quilômetros de Pont Saint-Esprit, era o único lugar onde o LSD era produzido naquela época, segundo Albarelli.

No documento, o agente relata que, após vários drinques, o representante da Sandoz disse repentinamente: "O segredo de Pont-Saint-Esprit é que não foi o pão... não foram grão de esporão do centeio".

O esporão do centeio (Claviceps purpurea) é um fungo parasita com propriedades alucinógenas que ataca os grãos de centeio.

Nesse ponto, o acadêmico Steven Kaplan - que discorda de Hank Albarelli - está de acordo com o representante da Sandoz.

Para ele, a teoria do fungo não procede, já que a contaminação não poderia ter afetado apenas um saco de grãos em uma padaria. Segundo o acadêmico, ela teria se alastrado por uma área maior.

Ao descartar a hipótese de envenenamento por LSD, Kaplan afirma que não apenas os sintomas seriam um pouco diferentes, como também a droga não teria sobrevivido às altas temperaturas no forno da padaria.

Albarelli, por sua vez, argumenta que o LSD poderia ter sido adicionado ao pão depois de assado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,27
    3,252
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h23

    1,58
    74.594,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host