UOL Notícias Notícias
 
25/08/2010 - 07h14

Saiba mais sobre o problema do tráfico de drogas no México

O presidente do México, Felipe Calderon, lançou sua campanha de combate ao tráfico de drogas em dezembro de 2006. De acordo com os últimos dados do governo, mais de 28 mil pessoas morreram em atos de violência relacionados ao narcotráfico.

Qual a escala da violência? O chefe da Inteligência Nacional, Guillermo Valdes, disse no dia 2 de agosto que mais de 28 mil pessoas morreram em episódios ligados à ação do tráfico de drogas desde 2006.

O número representa um grande salto em relação às estimativas anteriores, de 25 mil, divulgadas pelo escritório do procurador-geral do México, em julho.

Autoridades do governo disseram repetidas vezes que os dados precisam ser analisados dentro de um dado contexto, e sugerem que a grande maioria das mortes envolve pessoas ligadas ao tráfico ou às forças de segurança.

Quais as áreas mais atingidas? A violência está se espalhando? As cidades fronteiriças do norte do México são palco da maior onda de violência. Ciudad Juarez (que fica do outro lado da fronteira de El Paso, no Texas, EUA) é a cidade mais violenta. Há outros níveis de violência nos estados de Michoacan e Guerrero. O México é, entretanto, um país grande, e ainda há muitas áreas ainda onde índices altos de criminalidade são considerados uma exceção.

Por que a violência parece estar aumentando? A posição do governo mexicano é de que a violência, não importa o quão lamentável, é resultado do sucesso e sua política de linha-dura contra o narcotráfico. Autoridades sugerem que o que está acontecendo é uma luta brutal entre cartéis sem líder, pelo controle dos poucos espólios que restam no país. Outros, entretanto, afirmam que os cartéis se tornaram tão poderosos que na verdade controlam algumas partes do país, e que a violência é prova do vigor de seu poder paralelo.

O presidente Felipe Calderón mobilizou soldados contra o tráfico. A estratégia está funcionando? Cerca de 50 mil soldados e policiais federais estão envolvidos ativamente com a guerra do México contra as drogas. O governo mexicano diz que um número recorde de drogas foi apreendido, e líderes importantes de cartéis foram presos ou mortos em operações. Mas outra consequencia foi a explosão da violência, à medida que os cartéis de droga brigam tanto com o Exército quanto uns com os outros. Há também preocupação sobre a falta de capacidade das autoridades de responsabilizar militares por possíveis abusos.

O quão séria é a corrupção dentro da polícia? Muito. Uma razão pela qual o governo mobilizou o Exército de forma tão intensiva é o fato de acreditar-se que a polícia não é confiável. Os cartéis de drogas têm enormes recursos à sua disposição, e conseguiram infiltrar-se várias vezes nas forças policiais - que são normalmente mal remuneradas -, dos baixos aos altos escalões. Há esforços para reconstruir toda a estrutura da força policial do México, mas o processo pode levar anos.

Quem são os poderosos cartéis de drogas do México? Os cartéis controlam o tráfico de drogas que vai da América do Sul para os EUA, um negócio que vale cerca de US$ 13 bilhões por ano. Seu poder aumentou à medida que os EUA aumentavam a intensidade de suas operações antidrogas no Caribe e na Flórida. Um relatório do Departamento de Estado americano afirma que cerca de 90% da cocaína dos EUA entra no país através do México.

O gabinete do procurador-geral do México, em relatório divulgado em março de 2009 que identificou os 24 principais traficantes do país, listou sete principais cartéis, indicando que as gangues tinham se dissolvido e reagrupado. Os principais cartéis são: Organização Arellano Félix, Organização Beltrán Levya, Cartel Los Zetas, Cartel de Sinaloa, Organização Carillo Fuents, Cartel do Golfo-Nova Federação e Família Michoacana. Até que ponto a violência está cruzando a fronteira com os EUA? A maior parte da violência continua no lado mexicano da fronteira, mas há sinais de aumento do número de ataques violentos a agentes da policia de fronteira americana perpetrados por traficantes de drogas. Há também relatos de aumento no número de tiroteios e sequestros ligados ao tráfico em algumas cidades dos EUA, especialmente no Sudoeste.

Um relatório de 2008 do Congresso dos EUA, feito com base em dados da inteligência, sugeria que cartéis mexicanos tinham forjado laços próximos com gangues criminosas dentro dos EUA.

Qual foi a resposta dos EUA ao tráfico de drogas e à violência? Em março de 2009, o governo dos EUA anunciou que o número de agentes de imigração, alfândega e antidrogas, além de agentes que controlam a posse de armas, seria aumentado nos EUA. Um dos principais objetivos é coibir o fluxo ilegal de armas e drogas do México para os EUA - uma demanda-chave do governo mexicano. México e EUA, assim como países centro americanos e como Haiti e República Dominicana, fazem parte da chamada Iniciativa Mérida, ou Plano Mérida para o México.

O plano de US$ 400 milhões tem como objetivo ajudar o México em seus esforços de combate ao narcotráfico, ajudando a fornecer equipamento e treinamento a forças de segurança do país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h07

    -0,57
    63.720,92
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host