UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

17/03/2008 - 13h03
Protestos de tibetanos contra China se espalham para províncias próximas

Os protestos de tibetanos contra o domínio chinês entraram em sua segunda semana e se espalharam para províncias próximas da região do Himalaia, incluindo Gansu, Qinghai e Sichuan.

Os protestos começaram no dia 10 de março, para marcar o 49º aniversário de uma revolta contra o domínio chinês no Tibete, que foi reprimida.

MAIS UM DIA DE DISTÚRBIOS
Binod Joshi / AP
Manifestante tibetano é preso em frente ao prédio das Nações Unidas em Katmandu, no Nepal, nesta segunda-feira, em mais um dia de protestos contra a ação do governo chinês contra a autonomia da região
AFP
Dalai Lama disse que o que o Tibete pede é "autonomia, não independência"
VEJA IMAGENS DE PROTESTOS
CHINA FALA EM 16 MORTOS
CHINA BLOQUEIA SITES
VISTOS ESTÃO SUSPENSOS
DALAI LAMA VÊ 'GENOCÍDIO CULTURAL'
JOVENS CRITICAM O DALAI LAMA
SAIBA MAIS SOBRE O CONFLITO
EXPULSÃO DE JORNALISTAS
NY: MAIS DE 20 TIBETANOS DETIDOS
Um novo protesto foi realizado no monastério de Rongwo, na cidade de Tongren (província de Qinghai), onde os monges desafiaram a ordem de permanecer em casa.

No domingo, relatos indicam que a região de Aba, na província de Sichuan, e a cidade de Machu, em Gansu, também foram cenário de protestos.

Segundo a campanha Free Tibet (Tibete Livre), os manifestantes de Machu foram até prédios do governo e destruíram portas e janelas. Eles também teriam incendiado lojas e empresas chinesas na cidade.

No sábado, o Ministério de Segurança Pública da China ordenou o aumento da presença da polícia nas regiões atingidas por protestos, segundo informações de uma fonte do governo de Gansu à BBC.

Universidade
O aumento na segurança foi notado principalmente em volta da Universidade das Minorias do Noroeste de Lanzhou, capital da província de Gansu, onde cerca de cem estudantes tibetanos fizeram um protesto no domingo.

Nesta segunda-feira, o portão principal da universidade estava fechado e dezenas de policiais patrulhavam o campus.

Carros da polícia estavam estacionados nos cruzamentos das principais ruas e avenidas que levavam à universidade, que tem centenas de estudantes tibetanos.

Arte UOL
 
Inicialmente, os estudantes da universidade fizeram um protesto dentro do estádio do campus.

Sangay Tashi, ativista da campanha Free Tibet, afirmou que os estudantes foram parados pela polícia quando tentavam levar a manifestação para as ruas de Lanzhou.

"Eles então decidiram fazer uma vigília, com velas, dentro do campus, e outras centenas de estudantes participaram", acrescentou.

Público
A população de Lanzhou parece saber pouco do que está ocorrendo na região tibetana de Gansu e em outros locais.

A primeira página do jornal local "Lanzhou Morning Post" destacava a reeleição do primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao.

"O preço dos bens de consumo subiu muito rápido, então acho que os protestos estão ligados a isso", disse uma mulher à BBC.

Mas outras pessoas que queriam comentar os protestos mostraram pouca simpatia à causa tibetana.

"Acho que estão causando tumulto sem ter razão", disse um homem à BBC. "Acho que (os protestos) estão sendo organizados pelo dalai lama, para atingir as Olimpíadas."


Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA