Topo

CarnaUOL

Anderson Baltar


Irreverente, Tuiuti rouba a cena na última noite de ensaios técnicos

Livia Andrade é musa da Paraíso do Tuiuti - Daniel Pinheiro/AgNews
Livia Andrade é musa da Paraíso do Tuiuti Imagem: Daniel Pinheiro/AgNews
Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

25/02/2019 08h21

A última noite de ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí foi marcada pela afirmação do Paraíso do Tuiuti. A escola, que no ano passado foi a grande surpresa do Carnaval e conquistou o vice-campeonato, foi o destaque. A Beija-Flor, atual campeã, fez um ensaio correto, mas sem a mesma empolgação e comunicação com o público da azul e amarela de São Cristóvão. A noite, que também contou com a bênção ecumênica do ritual da lavagem da pista, deixa para o folião carioca a certeza de que os desfiles do próximo final de semana reservam muitas emoções.

A programação foi aberta com a lavagem da pista. Sambistas de várias religiões se congregaram para pedir boas energias para o Carnaval. No esquenta, batuques das religiões afro-brasileiras, orações e um cântico para São Sebastião, padroeiro da cidade. Com centenas de baianas, integrantes de velhas guardas e casais de mestres-salas e porta-bandeiras de várias idades, o cortejo foi animado pelo cantor Dudu Nobre, que entoou uma seleção de grandes sambas da história do Carnaval carioca.

Com a pista definitivamente energizada, o Paraíso do Tuiuti entrou em cena. E, mantendo a verve política que a caracterizou no último Carnaval, já deu um contundente cartão de visitas. Sua comissão de frente distribuiu laranjas pela pista, em clara alusão aos escândalos do Governo Federal, e foi bastante aplaudida.

Com um samba não tão cotado como o do ano passado, o ensaio começou um pouco morno. Mas, em questão de minutos, a temperatura subiu. Os componentes passaram animados, mas em alas extremamente organizadas. À medida que o ensaio foi se desenrolando, o público passou a ser contagiado pela energia da escola. A catarse aconteceu com a chegada da bateria de Mestre Ricardinho. Com bossas incrementadas e bem sincronizadas, levou a galera ao delírio. Eufórico, o carnavalesco Jack Vasconcelos veio no final da escola e caiu no samba.

Desfalcada do intérprete Neguinho, que fazia show fora do Rio de Janeiro, a Beija-Flor entrou na pista com alas bem ensaiadas. Um dos pontos altos foi a carismática apresentação do casal Claudinho e Selminha Sorriso - ela, que completará 30 anos de desfiles neste Carnaval.
Porém, o samba-enredo demonstrou na pista as suas fragilidades e não permitiu que o ensaio explodisse. Aos poucos, a intensidade foi diminuindo e o público limitou-se a assistir a passagem da atual campeã. O desempenho apenas correto da Beija-Flor deixou no ar uma dúvida: até que ponto a escola se ressentirá da saída de Laíla, seu ex-diretor de Carnaval e Harmonia?

A campeão do "BBB18", Gleici Damasceno no ensaio técnico da Paraíso do Tuiuti - Daniel Pinheiro/AgNews
A campeão do "BBB18", Gleici Damasceno no ensaio técnico da Paraíso do Tuiuti
Imagem: Daniel Pinheiro/AgNews