Topo

CarnaUOL

Anderson Baltar


Em meio à cisão de ligas, escolas do Grupo de Acesso lançam enredos

Júlio César Guimarães/UOL
A Império Serrano é uma das agremiações que já lançou seu enredo Imagem: Júlio César Guimarães/UOL
Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

2019-05-02T12:19:54

02/05/2019 12h19

Maio está no começo e as escolas da Série A (Grupo de Acesso) do Carnaval carioca já largaram na frente com os enredos para o desfile de 2020. Dois meses após a folia, oito das 13 agremiações que desfilam na sexta-feira e sábado de Carnaval já lançaram os seus temas.

Em um cenário de achatamento do financiamento oficial (no último Carnaval, a verba da prefeitura só foi depositada para as escolas no dia do desfile), nitidamente, vê-se uma preocupação de começar os trabalhos com a maior antecedência possível. Enquanto isso, no Grupo Especial, apenas São Clemente e Paraíso do Tuiuti já divulgaram seus enredos.

Vale lembrar ainda que o cenário do grupo para o Carnaval 2020 está envolto na cisão entre as escolas, que, neste momento, encontram-se divididas em duas ligas. Nove agremiações anunciaram seu afastamento da Lierj (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), que organiza o desfile desde 2013, e fundaram a Liga-RJ. Por outro lado, a Lierj, que ainda conta com cinco escolas, incluindo as recém-rebaixadas Imperatriz Leopoldinense e Império Serrano, afirma ser a única entidade reconhecida pelo poder público para organizar o desfile.

A despeito de toda a insegurança, os carnavalescos já começaram a trabalhar e, em breve, as primeiras sinopses estarão disponíveis. Confira os enredos já definidos:

Império Serrano

A tradicional agremiação, nove vezes campeã do Carnaval, foi, mais uma vez, rebaixada para o Grupo de Acesso após dois anos desfilando no Grupo Especial. Para tentar conquistar a única vaga de retorno à elite, a verde e branca de Madureira aposta no enredo "Lugar de mulher é onde ela quiser". Com novo carnavalesco, Júnior Pernambucano, que tem passagens pelo Império da Tijuca e Acadêmicos da Rocinha, o Império levará para a avenida um libelo à igualdade entre os gêneros. Presidida por uma mulher, a escola fará também uma homenagem a grandes mulheres imperianas, como Tia Eulalia, Tia Maria do Jongo e a ex-presidente Neide Coimbra.

Império da Tijuca

Em busca de voltar ao Grupo Especial, onde desfilou pela última vez em 2014, a escola do Morro da Formiga levará para a Sapucaí o enredo sobre um personagem interessante da cultura carioca. O desfile homenageará o poeta e escritor Evandro dos Santos, de 59 anos, que fundou, no subúrbio carioca da Vila da Penha, a biblioteca Tobias Barreto, com um acervo de 55 mil livros extraídos do livro. O enredo do carnavalesco Marcus Ferreira pretende mostrar a educação como o grande elemento transformador da sociedade usando o exemplo do homenageado.

Unidos de Padre Miguel

Sempre postulante à vaga do Grupo Especial, a vermelha e branca da Zona Oeste fará uma homenagem à obra de Tarsila do Amaral. Com o enredo "Quem somos nós, Tarsila?", o carnavalesco Fábio Ricardo, ex-Grande Rio, São Clemente e Império Serrano, pretende mostrar na Sapucaí toda a brasilidade da artista, que integrou o movimento modernista nos anos 1930.

Inocentes de Belford Roxo

A tricolor da Baixada Fluminense, que ficou em nono lugar no último Carnaval, trouxe de volta o carnavalesco Jorge Caribé, que foi campeão na escola no Grupo B em 2008. Caribé, que estava no Império da Tijuca, anunciou o tema "O pulo do gato", mas não divulgou ainda os detalhes de como será o recorte e desenvolvimento do tema.

Unidos da Ponte

A escola de São João de Meriti vai para o segundo Carnaval seguido na Série A com um enredo metafísico. "Elos da eternidade" irá apresentar uma reflexão sobre a relação da humanidade com o desejo de vida eterna. O tema, do carnavalesco Lucas Milato, também pretende despertar no sambista a necessidade da preservação das tradições do Carnaval, para que o mesmo atinja a eternidade.

Unidos de Bangu

A vermelha e branca parte para um enredo de matriz afro para o seu desfile de 2020. Com "Memórias de um Griô: a diáspora africana numa idade nada moderna e muito menos contemporânea", os carnavalescos Guilherme Diniz e Rodrigo Marques apresentarão a origem do continente africano a partir de seu primeiro habitante, que seria um griô (contador de histórias). A história muda de rumo com a chegada do europeu, dando início à diáspora motivada pela escravidão.

Acadêmicos do Sossego

A escola de Niterói fará uma homenagem a uma das mais tradicionais manifestações do folclore pernambucano. Com o enredo "Os tambores de Olokun", o Sossego celebrará as raízes do maracatu, prometendo um desfile que unirá o sagrado ao profano. O carnavalesco será Marco Antônio Falleiro, que, até o último Carnaval, estava na Alegria da Zona Sul.

Acadêmicos de Vigário Geral

A agremiação, que pela primeira vez desfilará no Grupo de Acesso, escolheu um tema semelhante ao da São Clemente e que foi anunciado na mesma semana que a agremiação de Botafogo. "O conto do vigário" apresentará a história de farsas e de "jeitinhos" que caracterizou a formação do povo brasileiro. Os carnavalescos são Rodrigo Almeida, Alexandre Costa, Marcus do Val e Lino Sales.