PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Com reinado de Alessandra Negrini, Baixo Augusta desfila seu 10º Carnaval

A rainha do Baixo Augusta, Alessandra Negrini, e o estilista Walério Araújo, que homenageou Rita Lee em sua fantasia.  - Nelson Antoine/UOL
A rainha do Baixo Augusta, Alessandra Negrini, e o estilista Walério Araújo, que homenageou Rita Lee em sua fantasia. Imagem: Nelson Antoine/UOL

Mateus Araújo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/02/2019 17h48

O desfile do Acadêmicos do Baixo Augusta neste domingo (24) pré-Carnaval tem gosto especial. O bloco, um dos mais badalados da folia paulistana, completa 10 anos.

Veja datas e locais dos desfiles de blocos em São Paulo
Rainha Alessandra Negrini é gente como a gente no bloco

Com a atriz Alessandra Negrini como rainha, o Baixo Augusta reuniu uma multidão já no início da tarde, na esquina da rua da Consolação com a avenida Paulista. Nesta temporada, o bloco faz uma homenagem ao rock, com o tema "Que País É Esse?", hit da banda Legião Urbana. 

"O punk é irreverência e transgressão, e é a origem da rua Augusta. E essa fantasia de punk que estou usando combina com esse momento do Brasil", contou Alessandra.

Antes do desfile, a banda do Baixo Augusta fez um minuto de silêncio, em memória das vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho. "Para que tragédias horrorosas como essa não aconteçam mais no País", disse o cantor Simoninha, que puxa o bloco.

Liberdade e topless

A cantora Emanuelle Araújo era uma das mais empolgadas com o bloco. "O Baixo Augusta revela a essência do Carnaval, que é a liberdade. Ainda mais em um momento como esse do Brasil", diz Emanuelle. 

O tema liberdade também esteve presente no look da atriz Maria Casadevall. A atriz desfilou com os seios à mostra no bloco.  

Já estilista Walério Araújo roubou a cena na concentração do desfile, com fantasia em homenagem à cantora Rita Lee. "Como o tema do bloco esse ano é rock, decidi fazer essa homenagem. Rita é minha amiga e ela ficou muito feliz quando falei. Temos que homenagear nossos ídolos enquanto estão vivos!", explica Araújo.

Blocos de rua