PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Monobloco ferve e desfila em SP sem deixar a desejar ao calor carioca

Monobloco no Ibirapuera, em São Paulo - André Lucas/UOL
Monobloco no Ibirapuera, em São Paulo Imagem: André Lucas/UOL

Sara Puerta

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/02/2019 15h20

O Monobloco desfilou pelo Ibirapuera na tarde de hoje sob um sol forte e um calor que chegou a marcar 36°C nos termômetros da rua na região.

Por se tratar de um dos "mega" blocos a sair no pré Carnaval, pelo jeito o público esperou o almoço de domingo para curtir o desfile. Os foliões foram chegando aos poucos e até a metade da apresentação o local já estava lotado, com pessoas chegando a todo momento.

A estimativa de 300 mil foliões, segundo a organização do evento, não intimidou ninguém e atraiu famílias com crianças pequenas.

É o caso da dentista Daniela Faria, 29, que veio com o filho de 1 ano. "Logo mais a gente procura uma sombra no Parque do Ibirapuera para descansar um pouco. Por isso que gosto desse local para os blocos, dá para fugir das muvucas", brinca.

Se ontem as pessoas se fantasiaram para curtir o bloco do Alceu Valença e da Elba Ramalho que rolou no mesmo local, os trajes não foram um destaque nesse domingo. 

O público utilizou muito mais acessórios na cabeça, como véus de noiva, tiaras de flores, de gatinhas, abelhas e de sereia - parece que dessa vez o unicórnio foi esquecido - do que fantasias completas.

Os que se montavam chamavam a atenção de todo mundo. Como foi com o casal de namorados Wagner Rossi, 31 anos, analista de vendas e Suellen Noaves, 28, bancária, que se fantasiaram dos amantes Júlio César, imperador de Roma e Cleópatra.

" Até chegar aqui todo mundo na rua foi acenando, fazendo foto nossas. Esse é o nosso primeiro Carnaval juntos e já resolvemos sair de fantasia de par", contou Wagner.

Além dos acessórios, os foliões usam recados em cartazes como  pendurados no pescoço. Como " Adote um gatinho", "Pessoa Errada", " O movimento é sexy", entre muitos outros.

O empresário Rodrigo Batista, 35, vende cartazes com esses recados criados por ele, e no verso os contatos da sua empresa de desenvolvimento de projetos. "A gente não pode perder a oportunidade de se divulgar.", aconselha ele, que foi ao bloco com uma máscara de Curinga.

Bateria formada em São Paulo

O Monobloco forma sua bateria paulista em ensaios semanais na capital paulista. Durante o desfile, a bateria é composta por integrantes de São Paulo e do Rio de Janeiro, sendo um grande destaque do bloco criado pelo músico Pedro Luiz.

Esse ano, o Monobloco homenageou as cantoras brasileiras e parte do seu repertório foi dedicado a elas, com versões dançantes até para "Segundo Sol", de Cássia Eller, que foi cantada em coro.

Atraídos pela fama da talentosa bateria, integrantes do Bloco "Haja Fígado", da cidade São Roque, interior de São Paulo, vieram ao desfile nesse domingo no Ibirapuera, que para eles era mais como um " esquenta" para o último ensaio, antes do Carnaval, que aconteceria logo mais.

"Somos ao todo em 60 na bateria e já são oito anos de história. Sempre tive a maior vontade de vir vê-los e representa bastante para nós que também somos um bloco", contou Juliana Russo, 34, integrante do "Haja Fígado".

Blocos de rua