Topo

Após bloco da Jennifer, Gabriel Diniz terá maratona de 17 shows no Carnaval

Público no Anhembi segue o Bloco da Jenifer, comandado pelo cantor Gabriel Diniz - Junior Lago/UOL
Público no Anhembi segue o Bloco da Jenifer, comandado pelo cantor Gabriel Diniz Imagem: Junior Lago/UOL

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

27/02/2019 08h00

Gabriel Diniz falou do sucesso de "Jenifer" no "Luciana by Night" de terça-feira (26). O cantor, que no final de semana estreou em São Paulo o bloco com o nome da canção que promete ser o hit do carnaval 2019, agarrou a oportunidade de gravar a música assim que a conheceu - agora, tem uma maratona pela frente no Carnaval.

"Uma equipe de oito compositores me mostrou lá em Goiânia, endoidei e já quis, porque eu realmente senti que ela daria certo. Acho que música tem endereço, né? Tinha que ser para mim e deu certo", comemora, dizendo-se espantado quando soube que encontrar um amor no celular é comum. "Muita gente que namora hoje se encontrou no aplicativo. Eu achava que não era tanto, não".

"Toda mulher tem uma Jenifer dentro de si, que faz uma paradas e tem seus segredinhos", explica, falando também da escolha de Mariana Xavier para protagonizar o clipe, que já chega a 180 milhões de visualizações no Youtube. "Eu queria colocar uma atriz que as mulheres se identificassem, e ela é bonita para caramba. A galera se identificou, surtiu muito efeito".

Ele vai encarar uma maratona de 17 shows durante o período de carnaval. "Está corrido para caramba, graças a Deus. Estaremos em três estados diferentes num só dia, trabalhando muito, mas a gente quis isso, foi atrás disso e aconteceu. Estamos nos desdobrando para levar alegria para todo mundo".

Carreira

Gabriel se interessou pela música na adolescência.  "Aos 13 anos pedi um violão ao meu pai de Natal, com 15 a gente montou uma banda de garagem com os amigos da escola, eu fui cantar e as coisas foram caminhando, sempre conciliando com os estudos". 

Chegou o momento, no entanto, de escolher. "Fiz só quatro períodos de Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Campo Grande (UFCG) e fui cantar, porque minha vida é cantar. Meu pai disse 'larga a faculdade, você não estuda mesmo'", diverte-se.

O cantor não nega a vaidade. "Gosto de usar coisas diferentes. Comecei usando  aquelas leggings de mulher, depois fui organizando. Gosto de seguir Instagram de moda, estar sempre antenado, de ousar".

Mais CarnaUOL