PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Serviços municipais falham e dono de bloco ameaça roubar banheiros químicos

Banheiros químicos no bloco Bangalafumenga, no último fim de semana; alguns blocos reclamaram que não receberam estrutura necessária da prefeitura - Edson Lopes Jr./UOL
Banheiros químicos no bloco Bangalafumenga, no último fim de semana; alguns blocos reclamaram que não receberam estrutura necessária da prefeitura
Imagem: Edson Lopes Jr./UOL

Anahi Martinho

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/02/2019 14h44

Na véspera de colocar seu bloco na rua, no último sábado (23), Rogério Sieiro Portos recebeu uma má notícia: foi informado de que o cortejo, o Doentes da Sapucaí, não receberia os banheiros químicos previstos pela prefeitura. O bloco, que homenageia os sambas-enredos das principais escolas cariocas, faria o trajeto na Vila Mariana, a partir da rua Marselhesa.

A menos de dois quilômetros dali, no parque Ibirapuera, mais de 200 banheiros haviam sido disponibilizados para o bloco Frevo Mulher, da cantora Elba Ramalho. Rogério não teve dúvida: conseguiu uma caminhonete emprestada na vizinhança e dirigiu rumo ao Ibirapuera com o plano de roubar dois banheiros. Antes, ele ligou para o subprefeito da Vila Mariana e anunciou o roubo.

4.fev.2018 - Foliões utilizam banheiro químico na Rua da Consolação, em São Paulo (SP) - Willian Moreira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo - Willian Moreira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo
Número de banheiros químicos não foi suficiente, prefeitura pediu nova entrega
Imagem: Willian Moreira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo
"Eles simplesmente disseram que não teriam [os banheiros] para entregar. Quando soubemos disso, começamos a nos movimentar para alugar, mas sem sucesso. Nenhuma empresa tinha estoque. Então arrumei uma caminhonete e liguei para o subprefeito avisando que roubaria dois banheiros do bloco que sairia do Ibirapuera. Ele pediu para aguardarmos e começou a remanejar banheiros do Ibirapuera para os outros blocos", conta.

Faltando meia hora para o início do cortejo, o bloco recebeu dois dos banheiros e, três horas depois, mais duas unidades foram entregues. Ainda assim, os quatro banheiros químicos não foram suficientes para a festa, que reuniu cerca de 2.500 foliões. Portos conta que sua casa virou banheiro público. "Deixei dois seguranças lá na frente e liberei", relata.

Tudo na raça

O bloco Xique-Xique do Cairo, que desfila há seis anos no centro de São Paulo, enfrentou problema parecido. Robson Prieto, dono do bloco, relatou desfalque não só de banheiros químicos, mas também de ambulâncias e até de agentes da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A operação de trânsito precisou ser feita pelos próprios organizadores do bloco.

"Tivemos que movimentar um trio de 30 metros de comprimento na raça", conta Robson, que teve de alugar cavaletes para fazer reserva de vagas em uma curva, "já que a CET não tinha cavaletes disponíveis", afirma. O cortejo passou pelas ruas Marquês de Itu, Rego Freitas e terminou na av. São João, no bairro da República.

"Na hora do desfile, reclamei com o rapaz da prefeitura que estava fiscalizando nosso horário, mas ele não soube responder nada", diz o organizador. "Tivemos que fazer tudo na raça."

O Xique-Xique do Cairo existe desde 2013 e homenageia o centro da cidade. Considerado de médio porte, o bloco reuniu cerca de 3.000 foliões, sendo a maioria do público acima de 40 anos. O tema deste ano foi uma homenagem ao Teatro Municipal e toda a decoração foi feita de materiais recicláveis.

Outro lado

No sábado (23), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse em entrevista ao UOL que houve falha por parte da empresa contratada para a distribuição dos banheiros químicos. Segundo ele, cerca de 300 banheiros não foram entregues. O desfalque foi solucionado apenas no domingo (24), com a entrega de mais 700 unidades.

Ainda sobre a questão dos banheiros, a Secretaria das Subprefeituras informou à reportagem que a logística será reorganizada. "A experiência do primeiro fim de semana da festa na cidade mostrou que, com a organização planejada para este ano, será necessário um incremento em relação ao que foi inicialmente projetado. Por isso, serão disponibilizados 1.700 banheiros por dia nos seis dias restantes do Carnaval de rua, além de reorganizar a logística para remanejar os equipamentos onde há maior demanda." 

A respeito das ambulâncias, a Secretaria informa que a distribuição está de acordo com o Plano de Atenção à Saúde criado para o Carnaval 2019, que estruturou o evento com ambulâncias UTI e de remoção. "Neste último fim de semana, as ambulâncias foram acionadas em 46 ocasiões com maior gravidade, e os pacientes foram encaminhados aos hospitais. Os veículos ficam estacionados estrategicamente, em cada região, para atender a todos os blocos que desfilam na área. Produtores das Subprefeituras mantém contato com os representantes de todos grupos e podem ser acionados em caso de necessidade", informou o órgão.

Trânsito
Sobre o desfile do Xique-Xique do Cairo, a CET disse à reportagem que o trânsito já estava bloqueado em várias ruas da região central, que recebeu diversos blocos no final de semana. "Foram realizados bloqueios macros, com fechamentos nas avenidas Ipiranga, São João, Xavier de Toledo, São Luiz, Boa Vista, Líbero Badaró, na praça Ramos e no Arouche. As vias compostas pelos Circuitos Boa Vista e Largo do Arouche estavam bloqueadas e monitoradas", informou.

"Cabe esclarecer que o supervisor da área entrou em contato no sábado (23) com o responsável pelo bloco Xique Xique do Cairo para confirmar o desfile. A Companhia ressalta ainda que o grupo que desfilou na região da Vila Mariana, Doentes da Sapucaí, teve acompanhamento durante todo o percurso por dois agentes e uma viatura", diz o órgão.
 

Blocos de rua