Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2018/04/26/caracteristicas-planetas-sistema-solar.htm
  • totalImagens: 9
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20180426170256
    • Notícias [35976]; Astronomia [9158];
Fotos

Quando será seu próximo aniversário? Se você pudesse esperar por ele em outro planeta, o dia de assoprar as velinhas poderia demorar mais ou menos tempo para chegar -- considerando como "aniversário" uma volta completa em torno do Sol. Se você estivesse em Mercúrio e fizesse aniversário hoje, assopraria velinhas novamente daqui a 88 dias (da Terra). Mas se estivesse em netuno, provavelmente não celebraria mais o dia do nascimento, a não ser que estivesse ainda vivo em 164 anos contados na Terra. Viver em outro planeta também mudaria nosso peso, já que ele depende do tamanho (da massa) dos astro. Pesaríamos 22 kg no pequenino Mercúrio, e 141 kg no gigantesco Júpiter. Mas seria possível realizar essas experiências? Veja como seria visitar outros planetas Wikimedia Mais

Por ser o planeta do Sistema Solar mais próximo ao Sol, Mercúrio possui a menor órbita -- ou seja, percorre a menor distância para completar uma volta em torno da estrela. O "Ano Novo" por lá ocorre a cada 88 dias da Terra. Por outro lado, a velocidade de rotação é menor que a do nosso planeta, e o Sol demora um tanto para raiar -- o equivalente a 176 dias terrestres. Isso gera a situação bizarra de ocorrerem dois "Anos Novos" todos os dias. Um viajante de 60 kg pesaria em Mercúrio apenas 22 kg. Mas ao pousar na superfície cheia de crateras e montanhas, morreria sufocado por uma atmosfera muito rarefeita. Também poderia congelar no frio de - 180°C à noite, derreter no calor de 430°C de dia, ou ser bombardeado pela irradiação solar. Nasa/Arte UOL Mais

Com tamanho semelhante ao da Terra, Vênus possui uma densa atmosfera que o deixa sempre coberto por nuvens. Mas ao contrário de o proteger contra a luz e o calor do Sol, essa atmosfera faz do planeta algo semelhante a um "inferno". Seu "ar" formado por dióxido de carbono é irrespirável. Sua pressão atmosférica, 90 vezes mais forte que a da Terra, é esmagadora. Brumas de ácido sulfúrico provocariam queimaduras terríveis em um viajante espacial. Se uma armadura muito resistente permitisse um passeio por lá, encontraríamos um solo rochoso e diversos vulcões. O ano é um pouco mais curto que o da Terra (225 dias terrestres). Como em mercúrio, o amanhecer também é demorado, (o equivalente a 117 dias terrestres). E a atmosfera dilacerante também gira, levando quatro dias para contornar o planeta. Nasa/Arte UOL Mais

Todo planeta possui algum tipo de atmosfera formada em torno de uma massa esférica mais ou menos sólida. Também todo planeta possui diferentes elementos químicos, combinados de formas variadas, que determinam o que há em suas superfícies. Mas há um planeta em que a composição dessa série de características faz dele um lugar extraordinário para se viver. Seu ar é rico em nitrogênio e oxigênio, o que ajuda a bloquear parte das radiações solares. Sua crosta possui atividade vulcânica e tectônica que ajudaram a moldar sua superfície. Esse planeta é envolto por uma fina camada de CO² que o mantém aquecido e por uma abundância de água líquida não encontrada em nenhum outro lugar. Estamos falando do planeta Terra, é claro. Não importa quão aventureiro seja um viajante do espaço, ele não encontraria prazer igual ao de respirar um ar oxigenado e úmido em um clima com temperaturas amenas e agradáveis Nasa/Arte UOL Mais

Por causa das sondas que têm passeado por lá, Marte tem aos poucos se tornado familiar para nós. É o planeta que mais se assemelha à Terra, não que isso signifique que a vida seria fácil em solo marciano. Há em Marte calotas polares com água congelada. Mas o restante do planeta se assemelha a um grande deserto, com imensas montanhas, profundos canyons e fortes tempestades de areia. A atmosfera de Marte é bastante rarefeita -- com pressão inferior a 1% da terrestre -- e quase toda formada por CO². Lá, a água evapora a 10°C. O céu em Marte é curioso, com duas luas, Fobos e Deimos, que possuem um formato de batata. As temperaturas marcianas variam de -120°C a 25°C. Dá para encarar? Pense que lá o dia ganha 38 minutos a mais em comparação com a Terra, uma boa vantagem para nossos tempos cheios de compromissos Nasa/Arte UOL Mais

Júpiter é gigantesco, e comportaria 1.300 corpos do tamanho da Terra. Mesmo assim, um viajante do espaço teria dificuldade de achar um lugar para pousar. Júpiter inaugura a série de planetas gasosos, que não possuem superfície. Ele é como um grande balão composto por hidrogênio e hélio -- um deus criador usaria Júpiter se quisesse brincar de ficar com a vozinha fina. Quanto mais ao centro, mais comprimido se torna o gás, a ponto dele se transformar em líquido e em metal no quente núcleo do planeta, que alcança 35.000°C. Mas sua superfície é gelada, de -110°C. E extremamente turbulenta, com enormes furacões, alguns maiores que a Terra. As 67 luas de Júpiter são atrações à parte. Europa é uma lisa bola com superfície de gelo que pode guardar um enorme oceano; Ganímedes é maior que o planeta Mercúrio; Calisto lembra nossa Lua e pode esconder um oceano; Io tem vulcões de jatos sulfurosos e disputa com Vênus a posição de pior "inferno" no Sistema Solar Nasa/Arte UOL Mais

Saturno é fantástico visto pelo telescópio, com 62 luas e anéis que se estendem por uma distância equivalente a existente entre a Terra e a Lua. Mas viajar para o planeta não seria lá tão empolgante. Sua atmosfera é composta quase que exclusivamente de hidrogênio e circunda um pequeno núcleo rochoso. Assim, a paisagem em Saturno é essencialmente de espessas camadas de nuvens. O que dá mais emoção são as constantes tempestades de ventos, que atingem mais de 1.800 km/h. Saturno gira velozmente, a ponto de seu "dia" durar apenas 11 horas terrestres. É o menos denso de todos os planetas. Se fosse colocado em uma piscina gigante do tamanho do Sistema Solar, ele flutuaria. Já as luas de Saturno valeriam visitas mais prolongadas. A sonda Cassini descobriu grandes jatos de vapor d'água em Enceladus e lagos hidrocarboneto líquido em Titã. Em 2017, a Cassini realizou um mergulho fenomenal em Saturno após 20 anos no espaço Nasa/Arte UOL Mais

Foi o primeiro planeta a ser descoberto desde a Antiguidade. Em 1781, o astrônomo amador William Herschel observou com um telescópio um disco esverdeado no céu. Urano é menor que Júpiter e Saturno, mas quatro vezes maior que a Terra. Possui camadas de hidrogênio e hélio como os outros gigantes gasosos, mas com gelo de água, amônia e metano sob as nuvens de gases -- junto com Netuno, é chamado de gigante gelado. Acredita-se que a água forma as nuvens mais baixas. Já a alta atmosfera é rica em sulfeto de hidrogênio, um composto baseado em enxofre -- o que deixa o topo das nuvens cheirando a ovo podre. Netuno tem 27 luas. O planeta orbita o Sol completamente deitado. Por isso, cada polo recebe a luz solar por 42 anos terrestres e fica na completa escuridão pelos outros 42 anos, alternadamente. Como chega pouquíssima luz do Sol, a variação de temperatura entre verão e inverno é de menos de 2°C. Nasa/Arte UOL Mais

Netuno foi o primeiro planeta a ser descoberto não através de lunetas ou telescópios, mas de cálculos. Os matemáticos John Couch Adams e Urbain Leverrier calcularam uma força desconhecida que impelia Urano para fora de seu curso. Era Netuno, finalmente observado por Johann Galle em 1846. A chegada da sonda Voyager 2 ao planeta em 1989 permitiu mais descobertas. Netuno possui um pequeno núcleo rochoso. Ao seu redor, há uma camada possivelmente formada por água, amônia e metano congelados. E sua atmosfera é composta por hidrogênio e hélio. Como outros planetas gasosos, têm ventos velozes -- aliás, os mais velozes do Sistema Solar -- que alcançam 2.000 km/h. Também possui um tênue sistema de anéis. Netuno é apenas 3% menor que Urano e seu dia é 67 minutos mais breve. Possui 14 luas, como Tritão, o objeto mais frio do sistema solar (com -235°C). Nasa/Arte UOL Mais

Como seria "viver" em outro planeta?

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL CIÊNCIA

UOL Cursos Online

Todos os cursos