Prótese mais antiga da Europa teria sido encontrada na Áustria

Viena, 14 Jan 2016 (AFP) - Arqueólogos austríacos acreditam ter descoberto a mais antiga prótese conhecida na Europa na forma de restos de um pé de madeira, de cerca de 1.500 anos - informou nesta quinta-feira o Instituto Austríaco de Arqueologia.

A descoberta, que data do século VI, foi feita na tumba de um homem que teve o pé e o tornozelo esquerdo amputados, enterrado em Hemmaberg, no sul da Áustria, perto da fronteira com a Eslovênia.

No lugar dos membros ausentes, os pesquisadores identificaram num estojo de couro e madeira os restos de uma prótese com um anel de ferro ligado à perna.

"O homem parece ter sobrevivido à perda do pé, depois ter vivido durante dois anos ao menos com este implante, caminhando relativamente bem", informou à AFP Sabine Ladstaetter, do Instituto Austríaco de Arqueologia (OeAI).

O esqueleto é provavelmente o de uma figura de alto escalão da dinastia dos Francos descoberto em 2013, mas que só recentemente revelou aos pesquisadores suas características "muito, muito surpreendentes".

"O risco de infecção foi extremamente elevado, o que mostra como o tratamento médico recebido foi bom, enquanto nós estávamos no início do mundo civilizado", acrescentou Ladstaetter.

As próteses mais antigas foram descobertas na China ou no Egito.

As seis igrejas de Hemmaberg, hoje na província de Caríntia, eram na época o mais importante local cristão de peregrinação do norte dos Alpes. O local foi descoberto pelos arqueólogos no início do século XX.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos