Brexit vai mudar papel do Reino Unido nos programas espaciais europeus

Paris, 15 Set 2016 (AFP) - O Reino Unido vai permanecer na Agência Espacial Europeia (ESA) quando sair da União Europeia (UE), mas terá que renegociar os termos para continuar participando em determinados projetos, disse a ESA nesta quarta-feira.

A ESA é autônoma em relação à União Europeia e não deve ser diretamente afetada pelo "Brexit", disse Jean Bruston, chefe do escritório de políticas da UE da agência, a jornalistas em Paris.

Vinte países da UE - incluindo o Reino Unido - pertencem à ESA, que recebe cerca de um quarto de seu orçamento do bloco, que atualmente tem 28 membros. Os outros dois membros da agência são Noruega e Suíça, que não pertencem à UE.

Além da ESA, o Reino Unido também participa de diversos programas espaciais conduzidos pela UE, como o sistema de satélites Copérnico, para monitorar danos ambientais e aumentar a assistência em catástrofes, e o Horizonte 2020, que visa impulsionar a pesquisa científica e a inovação.

"A partir do momento em que o Reino Unido deixar a UE, não estará mais participando nestes programas", disse Bruston.

Além disso, empresas baseadas no Reino Unido mantém contratos no valor de dezenas de milhões de euros da ESA para fornecer hardware para o Copérnico, assim como ao sistema de navegação por satélite Galileu, concorrente do americano GPS.

"Se nada mudar (e o Brexit acontecer), teremos de cancelar esses contratos", disse Bruston.

O Reino Unido poderia continuar contribuindo com o Galileu e o Copérnico se negociasse um acordo de terceiros com a UE, que é o que a Noruega e a Suíça fazem.

Em junho, 52% dos britânicos votaram em um referendo pela saída da União Europeia, mas o país ainda tem de invocar um artigo do Tratado de Lisboa da UE para que a separação aconteça.

O diretor-geral da ESA, Jan Woerner, disse à AFP nesta semana que "o Reino Unido continuará sendo um Estado membro da ESA, isso é muito claro".

"Mas é claro que, como nós também estamos lidando com programas europeus como Copérnico e Galileu, e também há questão dos cidadãos do Reino Unido que trabalham no continente e todas estas questões legais, nós temos que levar isso em conta", completou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos