Módulo de pouso europeu colidiu contra superfície de Marte

Paris, 22 Out 2016 (AFP) - O módulo de pouso europeu Schiaparelli enviado à Marte "colidiu" contra a superfície do planeta vermelho na quarta-feira passada, disse nesta sexta-feira à AFP Thierry Blancquaert, da Agência Espacial Europeia (ESA).

Uma fotografia do local de pouso tirada por uma sonda da Nasa confirmou que Schiaparelli, desaparecido há dois dias, tinha "colidido contra a superfície de Marte", disse Blancquaert, responsável pelo módulo na ESA, por telefone desde o centro de controle da missão em Darmstadt, na Alemanha.

O módulo "atingiu a superfície marciana com uma velocidade muito mais alta do que a pretendida", acrescentou.

O gerente de operações de voo Michel Denis afirmou que uma imagem registrada pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) da Nasa mostrou uma "mancha branca, consistente com o tamanho de um paraquedas. A cerca de dois quilômetros dali, há uma mancha preta, provavelmente o ponto de impacto do Schiaparelli".

A mancha preta era "maior do que teria sido se Schiaparelli estivesse inteiro", disse Denis. "Ele está espatifado".

O módulo de pouso realizava um teste para um futuro robô que vai procurar evidências de vida, passada ou presente, em Marte.

Schiaparelli parou de emitir sinais segundos antes do seu pouso previsto, enquanto a sua sonda Trace Gas Orbiter (TGO) entrou na órbita de Marte conforme o planejado - parte de um projeto conjunto entre a Rússia e a Europa.

Esta é a segunda vez consecutiva que a Europa falha ao tentar pousar em Marte. Em 2003, o laboratório robô britânico Beagle 2 desapareceu sem deixar rastro após se separar da sua nave, Mars Express.

- Missão prossegue -Após uma viagem de sete meses, a sonda TGO e seu módulo de pouso de teste haviam se separado no domingo passado.

O módulo Schiaparelli, com um peso de 577 quilos na Terra, se dirigiu para Marte, enquanto a TGO se colocou em órbita em torno do planeta, manobra que teve pleno sucesso.

A sonda TGO constitui a primeira etapa da ExoMars, a ambiciosa missão científica russo-europeia de duas fases - 2016 e 2020 - destinada a buscar indícios de vida - atual e passada - em Marte.

A partir de sua órbita, a TGO deverá "farejar" a atmosfera marciana em busca de sinais de gases como o metano, indicativo da presença de uma forma de vida atual no planeta.

O diretor geral da ESA, Jan Woerner, saudou o sucesso da entrada em órbita da sonda e disse que a TGO "agora está pronta para as atividades científicas (em 2018) e para enviar os dados que necessitamos para a missão de 2020", que planeja colocar um veículo de exploração no Planeta Vermelho.

Trata-se da segunda tentativa europeia - após o fracasso em 2003 do britânico Beagle 2 - de pousar um aparelho em Marte, façanha só conseguida pelos Estados Unidos.

"A função principal de Schiaparelli era testar a tecnologia de pouso europeia", explicou Woerner na quarta-feira passada. "Registrar os dados durante a descida será importante para saber o que ocorreu e para nos orientar no futuro".

Os americanos deram um passo decisivo para a conquista de Marte em 1976, quando as sondas Viking 1 e Viking 2 pousaram com sucesso no planeta.

Em 1996, o módulo americano Mars Pathfinder foi o primeiro a depositar no solo marciano um pequeno robô móvel de exploração, o Sojourner.

pcm-mlr/mh/db/mvv/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos