Três astronautas partiram rumo à Estação Espacial Internacional

Em Baikonur, Cazaquistão

  • Kirill Kudryavtsev/AFP

O cosmonauta russo Oleg Novitsky, a astronauta americana Peggy Whitson e o francês Thomas Pesquet decolaram nas primeiras horas desta sexta-feira da base de Baikonur, no Cazaquistão, com destino à Estação Espacial Internacional (ISS).

O foguete Soyuz levando os três decolou às 02H20 da sexta-feira no horário local (18H20 de Brasília), conforme o previsto, para levar a tripulação à ISS, para uma missão de seis meses. O acoplamento da cápsula com a estação espacial está previsto para o fim de semana.

A Rússia é conhecida pela capacidade de realizar lançamentos em qualquer tipo de circunstâncias meteorológicas. Nem a neve que cobre o cosmódromo, nem as baixas temperaturas foram capazes de impedir a decolagem do Soyuz.

A previsão era que a cápsula Soyuz MS-03 com os três astronautas desacoplasse da terceira fase do foguete cerca de nove minutos depois do lançamento, para entrar em órbita a 200 km da Terra.

A Soyuz deveria ativar, então, suas antenas solares, e a tripulação iniciaria uma viagem de mais de 48 horas a bordo do minúsculo módulo de apenas 2,5 metros de comprimento.

A missão dos três tripulantes será colocar-se à mesma altura que a ISS, que orbita a 28.000 km/h a 400 km da Terra.

A Rússia provê o módulo principal da ISS, onde se encontram seus propulsores, e os foguetes russos Soyuz são a única forma de transportar tripulantes para a ISS desde o fim das operações dos ônibus espaciais americanos, em 2011.

Em seis meses, Pesquet realizará 62 experiências para a Agência Espacial Europeia (ESA) e o Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) da França. Isso sem contar as 55 experiências que realizará em cooperação com as agências espaciais americana, canadense e japonesa.

O francês estudará o impacto da microgravidade nos músculos e testará tecnologias capazes de revolucionar o sistema de purificação da água.

Seus colegas não ficarão para trás. Whitson fará, por exemplo, experimentos sobre o impacto da luz no ciclo do sono, enquanto Novitsky realizará mais de 50 experiências científicas para a agência espacial russa Roskosmos.

O retorno dos três astronautas à Terra está previsto para 15 de maio de 2017.

Gastronomia espacialOs astronautas da ISS poderão comemorar as festas de final de ano com um banquete.

"Teremos pratos de chefs com estrelas Michelin", explicou Pesquet na sua última coletiva de imprensa antes da decolagem, na quarta-feira, em referência às línguas de boi com foie gras trufado ou aos magrets de pato confitados, pratos preparados pelos chefs Alain Ducasse e Thierry Marx para serem consumidos em situação de microgravidade.

A bordo da imensa nave de 400 toneladas, os três serão recebidos pela astronauta americana Shane Kimbrough e os cosmonautas russos Serguei Ryjikov e Andrei Borissenko, que estão na ISS desde 19 de outubro.

O comandante da Soyuz, o russo Oleg Novitsky, de 45 anos, tem grande experiência no espaço. O ex-piloto da Força Aérea russa que acaba de ser pai permaneceu cinco meses na ISS em 2012 e 2013.

A americana Peggy Whitson, de 56 anos, é uma das astronautas mais experientes da Nasa. Ela é a mulher que passou mais tempo no espaço - 376 dias no total -, e já fez seis saídas espaciais, com duração total de 39 horas.

Além disso, já passou dois períodos na ISS. Seu primeiro voo aconteceu em 2002, quando a estação espacial estava sendo montada.

O francês Thomas Pesquet, ex-piloto de aviões comerciais, é o novato da equipe, aos 38 anos. Ele é o 10º francês a viajar ao espaço, o primeiro desde 2008.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos