Justiça decreta que Amazônia colombiana tem direitos de cidadão

Bogotá, 5 Abr 2018 (AFP) - A Amazônia na Colômbia deverá ser protegida como se fosse um cidadão, decretou nesta quinta-feira a Justiça colombiana, em uma decisão que pretende frear o desmatamento que afeta a região.

Em sua sentença, a Suprema Corte deu um passo transcendental na conservação deste ecossistema ameaçado, compartilhado por nove países na América do Sul.

A Justiça decidiu reconhecer a Amazônia como um "sujeito de direitos" diante do "aumento alarmante" do desmatamento.

Segundo o tribunal, entre 2015 e 2016 o desmatamento disparou 44%, passando de 56.952 a 70.074 hectares.

Os magistrados aceitaram um recurso de amparo e estabeleceram que o dano provocado por mudanças climáticas, expansão da fronteira agrícola e cultivos do narcotráfico estão minando os direitos dos colombianos.

"Portanto, a fim de proteger esse ecossistema vital para o futuro global (...) se reconhece a Amazônia Colombiana como sujeito de direitos", decretou o tribunal.

Nessa medida, o Estado deverá repará-la e protegê-la como se fosse uma pessoa afetada em suas garantias fundamentais.

A decisão, em que se ressalta o descumprimento das autoridades na proteção da Amazônia, ordena que criem em quatro meses um plano de ação de "curto, médio e longo prazo".

Esta estratégia deverá apontar para dois objetivos ambiciosos: "reduzir a zero o desmatamento e as emissões de gases do efeito estufa".

Antes da Colômbia, o Equador - que também tem jurisdição sobre a Amazônia - já tinha reconhecido direitos da natureza, inclusive dando-lhes caráter constitucional em 2008.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos