"Alex" se torna o primeiro furacão da temporada no Atlântico

Miami, 29 jun (EFE).- A tempestade tropical "Alex" se tornou nesta terça-feira o primeiro furacão da temporada de ciclones do Atlântico de 2010 ao aumentar seus ventos máximos sustentados a 120 km/h, informaram meteorologistas dos Estados Unidos.

O "Alex" se fortaleceu nas águas quentes do Golfo do México e se tornou um ciclone de categoria um, a menor na escala de intensidade Saffir-Simpson que vai até cinco, indicou o Centro Nacional de Furacões (NHC), com sede em Miami (EUA).

O furacão também é o primeiro formado na bacia atlântica no mês de junho desde 1995. O NHC previu que o "Alex" continuará se fortalecendo antes de tocar a terra.

Pouco antes de 0h desta quarta-feira (horário de Brasília) o furacão estava a cerca de 315 quilômetros a leste da La Pesca (México) e a 415 quilômetros ao sudeste de Brownsville, no estado do Texas (EUA) e se deslocava a 15 km/h em direção ao oeste.

Espera-se um giro rumo ao oeste-noroeste dentro de 24 a 48 horas, e nesta trajetória o vórtice do "Alex" se aproximará da costa nordeste do México e sul do Texas na quarta-feira e tocará a terra, segundo o NHC.

O Governo do México mantém um aviso de tempestade tropical para o sul de la Cruz até Cabo Vermelho. Também foi emitido um aviso de furacão desde a desembocadura do Rio Grande até La Cruz.

Está vigente um aviso de furacão para a costa do sul do Texas desde a bahia de Baffin até a desembocadura do Rio Grande, enquanto há um alerta de tempestade tropical desde a baía de Baffin até o porto de Oconnor.

O presidente americano, Barack Obama, declarou estado de emergência no Texas, enquanto autoridades da cidade mexicana de Matamoros, na fronteira com Brownsville (Texas) iniciaram a evacuação de pelo menos cinco mil pessoas de zonas de risco.

Estão previstas fortes chuvas em zonas do nordeste do México e do sul do Texas nos próximos dias.

As fortes ondas causadas pelos ventos do "Alex" forçaram a Guarda Litorânea americana a ordenar o retorno à costa das embarcações que realizam trabalhos de limpeza na zona do enorme vazamento de petróleo em águas do Golfo do México.

O "Alex" como tempestade tropical deixou pelo menos 12 mortos em sua passagem pela América Central: cinco em El Salvador, igual número na Nicarágua e dois na Guatemala.

Para a temporada de furacões no Atlântico que começou no dia 1º de junho e termina em 30 de novembro, a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos EUA (NOAA) previu a formação de 14 a 23 tempestades e entre 8 a 14 furacões, que descarregariam sua fúria nos EUA, no Caribe, na América Central e no Golfo do México.

Os meteorologistas alertam para uma temporada "extremamente ativa", pois, dentre estes furacões, entre três e sete poderiam ser de grande intensidade com ventos superiores a 177 km/h.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos