Topo

Após cinco anos, sonda japonesa entra na órbita de Vênus

AFP/Jaxa
Concepção artística da sonda "Akatsuki", a primeira missão espacial japonesa a Vênus Imagem: AFP/Jaxa

Em Tóquio

2015-12-09T09:29:00

09/12/2015 09h29

A sonda Akatsuki entrou com sucesso na órbita de Vênus após cinco anos consecutivos girando ao redor do Sol, depois de a primeira tentativa ter fracassado devido a problemas de propulsão, informou nesta quarta-feira (9) a Agência Espacial do Japão (Jaxa).

A sonda levará três meses para se aproximar mais do planeta e obter uma melhor trajetória, mas a equipe da Jaxa já recebeu algumas imagens, nas quais foi possível observar os gases que rodeiam Vênus, afirmou em entrevista o responsável pela missão, Masato Nakamura.

"Hoje recebemos as primeiras imagens e fiquei muito surpreso porque nunca tínhamos visto imagens tão boas como essas. Acredito que podemos esperar muito dos trabalhos da Akatsuki", disse.

A partir de sua posição atual, a sonda demora 13 dias e 14 horas para dar uma volta completa em Vênus, mas corrigirá sua trajetória nos próximos meses para reduzir para nove dias o tempo necessário para cumprir o mesmo percurso. A expectativa da Jaxa é que o equipamento comece a operar regularmente em abril de 2016.

A sonda Akatsuki foi lançada em maio de 2010 com seis tipos de equipamento de observação, com objetivo de estudar as espessas nuvens sulfúricas que envolvem o planeta.

Além disso, pretende analisar os fenômenos vulcânicos e meteorológicos como a super-rotação atmosférica, que se movimenta 60 vezes mais rápido que a superfície de Vênus.

A sonda deveria entrar na órbita do planeta em dezembro desse mesmo ano, mas uma falha no sistema de propulsão do motor principal impediu a desaceleração necessária e deixou Vênus sem completar a missão. A partir de então, a Akatsuki ficou dando voltas ao redor do Sol para fazer as manobras necessárias para corrigir sua trajetória.

A Jaxa reprogramou o equipamento para que os quatro propulsores restantes o recolocassem na trajetória desejada. Após uma manobra que durou 20 minutos e 28 segundos, a Akatsuki entrou na órbita de Vênus com sucesso.

O Japão investiu cerca de 25,2 bilhões de ienes (cerca de R$ 774 milhões) na missão a Vênus, com a qual pretende realizar o primeiro mapa tridimensional das espessas nuvens sulfúricas que envolvem o planeta.

Mais Ciência e Saúde