Stephen Hawking: "Foi descoberta uma nova forma de olhar para o universo"

Em Londres

  • EFE/Facundo Arrizabalaga

    "A capacidade de detectá-las tem o potencial de revolucionar a astronomia", afirmou Hawking

    "A capacidade de detectá-las tem o potencial de revolucionar a astronomia", afirmou Hawking

O físico Stephen Hawking afirmou nesta quinta-feira (11) que a detecção das ondas gravitacionais, a última previsão que restava ser comprovada das teorias de Albert Einstein, abre a porta para "uma nova forma de olhar o universo".

"A capacidade de detectá-las tem o potencial de revolucionar a astronomia", afirmou à "BBC" o físico teórico de 74 anos, especialista no campo dos buracos negros.

A detecção destas ondas, sinais deixados por grandes cataclismos no universo, representa também "a primeira prova de um sistema binário de buracos negros e a primeira observação de buracos negros se fundindo", afirmou Hawking.

"Além de provar a Teoria da Relatividade Geral, podemos esperar ver buracos negros ao longo da história do universo. Poderíamos inclusive ver os vestígios do universo primordial, durante o Big Bang, graças às ondas gravitacionais", ressaltou o físico.

A pesquisadora da universidade de Glasgow Sheila Rowan, que participou do projeto LIGO que detectou as ondas, descreveu seu trabalho como um "viagem fascinante".

"Estamos sentados aqui na Terra observando como as costuras do universo se esticam e se comprimem devido a uma fusão de buracos negros que ocorreu há mais de um bilhão de anos", refletiu Rowan.

"Quando ligamos nossos detectores, o universo estava pronto, esperando para dizer 'olá'", descreveu a pesquisadora.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos