Cientistas indianos e Nasa discordam sobre suposto meteorito que matou homem

Nova Délhi, 12 fev (EFE).- Um suposto meteorito que matou um homem no sul da Índia no sábado passado criou desavenças entre cientistas locais encarregados da investigação da origem do objeto, que asseguram que o material é um aerólito, e a própria Nasa, que rejeita essa hipótese.

Há uma semana, o motorista de ônibus de uma universidade faleceu no estado de Tamil Nadu devido ao que a chefe do governo regional, Jayalalithaa Jayaram, descreveu então como a "queda de um meteorito", que também deixou três pessoas feridas e abriu um corrente de especulações por parte de especialistas na matéria.

O fato levou os cientistas do Instituto Indiano de Astrofísica (IIA) a irem até o local, enquanto uma equipe da Universidade Nacional de Trichy, em Tamil Nadu, se encarregou de analisar amostras do objeto. Até a Nasa se pronunciou sobre o misterioso incidente, mas minimizou o caso, afirmando que não se tratava efetivamente de um meteorito.

Hoje, a Universidade de Trichy veio a público para assegurar que suas análises provam que a morte do motorista foi causada por um aerólito.

"Confirmamos que o material analisado estava meteorizado", disse à Agência Efe o diretor do centro, K. Anbarasu, que detalhou que as amostras foram examinadas com um microscópio eletrônico de varredura.

Apesar do material ainda ter que ser submetido a análises químicas, ele afirmou que "muito provavelmente" o resultado se manterá.

A declaração oficial da universidade é diferente de a da Nasa, que tinha indicado anteriormente ao jornal americano "The New York Times" que, a partir das fotografias do incidente divulgadas na internet, não parecia que tivesse sido causado por um objeto vindo do céu, mas por uma "explosão terrestre".

Segundo o especialista de defesa planetária na Nasa Lindley Johnson, as mortes por impactos de meteoritos são raras. O único caso registrado deste tipo foi em 1825.

O governo de Tamil Nadu anunciou que irá pagar uma indenização de US$ 1.470 (quase R$ 6 mil) para a família da vítima US$ 370 (quase R$1.500) para cada um dos três feridos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos