Áustria adverte contra nacionalismos ao comemorar fim de II Guerra Mundial

Viena, 8 mai (EFE).- Os nacionalismos são a base para enfrentamentos bélicos e não devem ser usados para enfrentar questões como a onda de refugiados, advertiu neste domingo o vice-chanceler austríaco, Reinhold Mitterlehner, na celebração, em Viena, do fim da Segunda Guerra Mundial.

"A Europa está em perigo de fraturar-se, por isso é mais importante do que nunca que posturas nacionalistas não sejam reforçadas, mas que atuemos de forma solidária, seja no assunto dos refugiados ou na mudança climática", disse o político conservador.

"Os nacionalismos são um perigo e a base para enfrentamentos bélicos", acrescentou, ao avaliar as doutrinas da História no 71º aniversário da libertação da Áustria da ocupação nazista, lembrada hoje com um ato na Chancelaria federal de Viena.

"Tivemos que reagir de forma nacional (diante dos refugiados) porque outros não o fizeram", disse.

O chanceler federal, Werner Faymann, do partido social-democrata, também advertiu que a paz social não é algo garantido "que ninguém pode desequilibrar", já que "leva muito tempo para construir a democracia e o bem-estar, e ambos podem ser destruídos com um par de golpes".

A Áustria lembra hoje a derrota militar da Alemanha na II Guerra mundial, 8 de maio de 1945, o que pôs fim ao regime nazista no país, com atos oficiais e, à noite com um concerto da Sinfonia de Viena ao ar livre.

A liberação do campo de concentração de Mauthausen, normalmente celebrada no primeiro domingo de maio, acontecerá este ano no dia 15.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos